PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Investigado, presidente da Federação Chilena viaja escoltado para os EUA

Sergio Jadue é acusado de aceitar suborno de US$ 3 milhões para negociar direitos da Copa América - AFP PHOTO/VLADIMIR RODAS
Sergio Jadue é acusado de aceitar suborno de US$ 3 milhões para negociar direitos da Copa América Imagem: AFP PHOTO/VLADIMIR RODAS

Do UOL, em São Paulo

18/11/2015 12h32

O presidente da Federação Chilena de Futebol, Sergio Jadue, embarcou com a família para Miami na terça-feira à noite, em uma viagem que estaria ligada à investigação do FBI sobre corrupção.

Jadue é acusado de receber suborno US$ 3 milhões para vender direitos de transmissão de TV da Copa América.

O dirigente alega que o motivo da ida aos Estados Unidos é para aproveitar as férias com os parentes. Mas a imprensa chilena informa que o dirigente seguiu à América do Norte para colaborar com a polícia norte-americana.

Jadue segue à frente da Federação Chilena, mas sua renúncia deverá ocorrer ainda nesta quarta-feira. Escoltado por policiais no aeroporto em Santiago, Jadue embarcou à noite na mesma hora em que ocorria o jogo vencido pelo Uruguai contra o Chile, 3 a 0, pelas eliminatórias da Copa do Mundo. O dirigente tentou entrar no aeroporto sem chamar a atenção, mas diversos repórteres o aguardavam.  

O cartola chileno será testemunha protegida pelas autoridades norte-americanas. Para evitar complicações na Justiça dos EUA, Jadue deverá repassar informações importantes no que se refere à comercialização de contratos comerciais de torneios esportivos.

Sete dirigentes foram presos em maio, na Suíça, acusados de superfaturarem acordos de direitos de transmissão da Copa América e outros torneios das Américas. Os sete dirigentes detidos, entre os quais José Maria Marin, são ligados a confederações das Américas.

Futebol