PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dracena vê 'cultura do futebol' pressionar Muricy e cita cobrança maior pela base no Santos

Capitão santista opina sobre a pressão que Muricy Ramalho sobre na Vila Belmiro - Divulgação/Santos FC
Capitão santista opina sobre a pressão que Muricy Ramalho sobre na Vila Belmiro Imagem: Divulgação/Santos FC

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

27/02/2013 12h20

O zagueiro Edu Dracena acredita que a cultura do futebol brasileiro pressiona Muricy Ramalho na Vila Belmiro. Conselheiros, torcedores e até integrantes do Comitê Gestor do Santos estão insatisfeitos e pedem a demissão do treinador. O defensor não concorda com a cobrança e destaca que os técnicos são sempre os culpados em caso de resultados ruins no Brasil.

“É a cultura do futebol brasileiro, quando não se ganha o treinador é cobrado. Precisamos de maturidade para não achar que está tudo errado, a oscilação é normal, ano passado não começamos tão bem e fomos campeões paulistas, vamos procurar melhorar para chegar às fases finais e conseguir o título”, afirmou Dracena.

O capitão santista ainda enfatizou a cobrança que Muricy Ramalho sofre para utilizar os jogadores revelados nas categorias de base no clube.

Dracena alega que o Santos revela mais jogadores do que os demais clubes do futebol brasileiro e, por isso, provoca mais cobranças para os técnicos que comandam a equipe santista.

“A cultura no futebol brasileiro, quando se perde, a pressão é muito grande em cima do treinador. Com relação à entrada de jogadores da base é de 40, 50 anos atrás. Aqui se usa muito a base, diferente de outros times que usam pouco. De dez anos para cá quantos jogadores o Santos revelou? Por isso entendemos isso com muita naturalidade, mas não podemos queimar”, disse.

Apesar de defender o treinador, Dracena preferiu se esquivar ao ser questionado sobre os poucos treinos táticos comandados por Muricy Ramalho no CT Rei Pelé.

A maioria dos integrantes do Comitê Gestor já cedeu à pressão dos conselheiros e veem Muricy como um técnico que só coloca o time para jogar nos contra-ataques. Além disso, os dirigentes acreditam que o treinador continua dependendo excessivamente de Neymar, mesmo com a chegada de reforços em 2013. As criticas de Muricy em relação aos jogadores revelados nas categorias de base do clube também são vistas como exageradas pela direção.

O salário de cerca de R$ 700 mil mensais também incomoda alguns dirigentes, além de ser extremamente reprovado pela maioria dos conselheiros do clube.

Insatisfeita com Muricy, a torcida santista também não aprovou Paulo Autuori como substituto, nome revelado pelo UOL Esporte na última terça-feira. Parte da torcida não guarda boas lembranças da primeira passagem do técnico e prefere nomes como Jorginho, Abel Braga ou Dorival Junior. O atual técnico do Flamengo foi campeão da Copa do Brasil, em 2010, no time que tinha Wesley, Ganso, Neymar, André e Robinho.

Desde que chegou ao Santos, em 2011, Muricy conquistou a Libertadores e dois campeonatos estaduais. Apesar disso, fracassou no Mundial Interclubes na goleada contra o Barcelona e sequer classificou o time para a Libertadores de 2013.

BAND: ANDRÉ ENSAIA DANCINHA ANTES DE JOGO NO PAULISTÃO

Futebol