PUBLICIDADE
Topo

Rússia

"A Espanha deixa espaços", diz zagueiro russo antes de oitavas da Copa

Sergey Ignashevich, zagueiro da Rússia - Alexander Nemenov/AFP
Sergey Ignashevich, zagueiro da Rússia Imagem: Alexander Nemenov/AFP

27/06/2018 12h01

Classificação e Jogos

O zagueiro russo Sergei Ignashevich destacou nesta quarta-feira que a Espanha deixa "espaços" na defesa e que a seleção russa tentará aproveitar essas brechas na partida decisiva de domingo, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

"Tentaremos aproveitar os defeitos que demonstraram na primeira fase. Os espanhóis defendem muito em cima e deixam espaços livres. Espero que aproveitemos", disse o jogador no centro de treinamento da Rússia, nos arredores de Moscou.

O veterano, que completará 39 anos no dia 14 de julho, também comentou que a seleção espanhola "joga o mesmo futebol" de anos anteriores.

"Defendem muito alto, o que dá oportunidades às equipes que contra-atacam, como vimos com Marrocos no segundo tempo. Isso é um inconveniente. Tentaremos aproveitar as fraquezas da Espanha", analisou.

A anfitriã Rússia vinha de duas boas vitórias sobre Arábia Saudita (5 a 0) e Egito (3 a 1), mas, já classificada, perdeu por 3 a 0 para o Uruguai de Luis Suárez e Edinson Cavani. Ao contrário da equipe celeste, que tem "duas estrelas no ataque", a Espanha se destaca pelo jogo coletivo, segundo Ignashevich.

"O perigo vem não só de Diego Costa, mas de qualquer jogador de ataque, o que dificultará a nossa missão", comentou.

Ignashevich lembrou que "a Espanha costuma jogar com um só atacante", mas considerou "um luxo" que a equipe comandada por Fernando Hierro tenha "três atacantes tão diferentes".

"Quando Diego Costa se cansa, entra Rodrigo, que também é um atacante rápido. E depois tem Aspas, que é diferente dos outros dois, o que dificulta ainda mais o nosso trabalho, já que quando você se habitua a um, entra o outro", explicou.

Rússia