PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Betfair adquire os naming rights do Campeonato Carioca

Taça do Campeonato Carioca 2021 - Alexandre Vidal/Flamengo
Taça do Campeonato Carioca 2021 Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

21/01/2022 15h18

Com Igor Siqueira

A Betfair fechou contrato para aquisição do naming rights do Campeonato Carioca de 2022. Será o principal acordo comercial feito para a competição, com isso, vai turbinar a receita final. O acordo foi negociado pela Sportsview, agência que comercializa os direitos da competição.

Com o início marcado para o dia 25 de janeiro, o Estadual passará a se chamar Cariocão Betfair 22.

Além disso, haverá outras propriedades de marketing envolvidas no contrato, além de ativações. Entre elas, constará o nome da empresa no troféu e nas medalhas dos campeões. A Betfair também terá a marca na bola do Carioca, na cenografia das cabines de transmissão e em espaços pelos estádios.

  • De segunda a sexta, às 17h, o Canal UOL traz, ao vivo, as últimas informações do mercado da bola. Inscreva-se no YouTube de UOL Esporte e confira também as lives dos clubes, Posse de Bola e UOL News Esporte:

Com o novo acordo, o Carioca-2022 tem uma projeção de receita entre R$ 40 milhões e R$ 45 milhões. Esse valor refere-se a R$ 15 milhões com direitos de TV Aberta, outros R$ 15 milhões com patrocínios e parcerias comerciais com a Record, incluindo a venda dos direitos do nome. E está previsto um montante entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões com pay-per-view.

É um aumento em relação à renda obtida no ano passado que ficou em R$ 26 milhões. Havia pressão dos clubes pequenos e grandes por um aumento na renda da competição, especialmente dos times com menor investimento.