PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Globo negocia só pay-per-view com Mineiro e Gaúcho, times devem perder cota

Final do Mineiro entre Galo e América-MG - Pedro Souza/Atlético-MG
Final do Mineiro entre Galo e América-MG Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

22/10/2021 04h00

As negociações dos direitos de TV dos campeonatos Mineiro e Gaúcho indicam quedas de arrecadação para os grandes times, Atlético-MG, Cruzeiro, Grêmio e Internacional. A Globo até agora só fez proposta e mostrou interesse no pay-per-view das duas competições, com rendas variáveis. O cenário é similar ao que ocorre em outros Estados.

Os contratos atuais da Globo pelos dois Estaduais rendem entre R$ 12 milhões e R$ 13 milhões para cada um dos times grandes. Mas acabaram nesta temporada de 2021.

Nas conversas, a Globo fez uma proposta pelos direitos de ppv para a Federação Mineira de Futebol e para os clubes. Seria um valor sem mínimo garantido. Assim, a renda dependeria do valores obtidos com a arrecadação específica com o campeonato na plataforma Premiere.

A estratégia da Globo se explica porque há o entendimento de que, com o ppv, é possível obter uma receita certa pelo que se paga. Com a TV Aberta, a emissora pagaria por direitos que não tem certeza de que vai conseguir o retorno no mercado de publicidade. Um acordo para a TV Aberta dependeria de interesse e investimento da afiliada mineira da emissora.

O cenário é bem parecido no Rio Grande do Sul. O interesse demonstrado pela Globo foi em relação ao pay-per-view. Um acordo para TV Aberta dependeria da RBS ou de outra emissora apostar no produto.

Com partidas no ppv, a Globo pode estancar parcialmente a debandada de torcedores que ocorre no período de intervalo entre o final de um Brasileiro e o início de outro. Pois haveria um pacote de jogos para essas quatro torcidas neste meio período.

Entre os grandes clubes do Sul e de Minas, já é visto como praticamente certa uma queda de receita com os Estaduais para a próxima temporada. Seria um processo similar ao que ocorreu no Rio de Janeiro no ano de 2021. Com o rompimento com a Globo, todos os três grandes —Fluminense, Botafogo e Vasco— tiveram redução de sua renda. O Flamengo já não tinha contrato com a emissora no ano anterior.

Enquanto isso, o Paulista já teve vendas de direitos de TV Aberta (Record) e outro pacote de jogos para o YouTube. E há uma perspectiva de aumento de receita em relação à atual temporada. A Copa do Nordeste também tem contratos

Em outros Estaduais, a Globo também tem atuado de forma tímida em renovações. Só as afiliadas que poderão se interessar e fazer eventuais investimentos. A prioridade da emissora são investimentos em competições nacionais.