PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Flamengo lidera receita de vendas, Palmeiras fica no topo em TV e prêmios

Libertadores elevou renda de Palmeiras com TV e prêmios - GettyImages
Libertadores elevou renda de Palmeiras com TV e prêmios Imagem: GettyImages
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

12/05/2021 04h00

Em 2020, Flamengo e Palmeiras lideraram todos os itens de maiores receitas entre os clubes brasileiros, segundo levantamento da consultoria EY. O clube rubro-negro levou vantagem em vendas de jogadores e sócio-torcedor/bilheteria, a agremiação alviverde ficou no topo da lista de renda de TV e prêmios, e de patrocínios.

O relatório da EY foi feito com análises dos balanços de 23 clubes brasileiros, todos da Série A e os grandes da Série B. O documento mostra um impacto da pandemia do coronavírus com queda de receita e aumento de dívida. São resultados semelhantes ao mostrados em levantamento feito blog.

A diferença é que a análise da EY é mais abrangente e detalhada. Ao levantar os números de 23 clubes, o estudo mostra uma queda de 14% na receita total: ficou em R$ 5,3 bilhões. É a primeira redução significativa da renda dos clubes em 10 anos: explica-se pelas transferências de receitas de televisão para 2021 e perda do dinheiro de bilheteria e sócio-torcedor na pandemia.

Assim, a EY apontou um endividamento líquido de R$ 10,3 bilhões, um crescimento de 19% em relação ao ano anterior. Outra consequência é que os clubes ficaram mais dependentes de vendas de jogadores que passaram a representar 30% da receita total das entidades, o dobro do percentual de 2016. Houve uma arrecadação total de R$ 1,599 bilhão, inflada pelo câmbio.

Neste cenário, o Flamengo se destacou ao assumir o posto de agremiação que mais ganha com transferências de jogadores no Brasil. Em 2020, foram R$ 222 milhões, puxados pela negociação de Reinier. Mais do que isso, o time passou a ser a equipe com maior renda de negociação nos últimos cinco anos: R$ 782 milhões. Tomou um posto que era do São Paulo. Veja os cinco mais em 2020:

1º Flamengo - R$ 222 milhões

2º Athletico - R$ 201 milhões

3º Corinthians R$ 189 milhões

4º Grêmio - R$ 176 milhões

5º São Paulo - R$ 151 milhões

Ao mesmo tempo, o Palmeiras tomou do Flamengo o posto de clube que mais arrecada com televisão e premiação. Aí uma explicação: esta rubrica inclui cotas por passagem de fase na Libertadores e Copa do Brasil porque são, na realidade, direitos de televisão. Em 2020, o Palmeiras ganhou R$ 200 milhões, enquanto o time rubro-negro ficou com R$ 180 milhões.

Uma parte do dinheiro do Brasileiro - premiações e pay-per-view - entrou só em 2021. O Flamengo turbinou essas receitas já que foi campeão e tem R$ 120 milhões no ppv. Mas o Palmeiras ganhou a Libertadores e a Copa do Brasil, premiações também só contabilizadas em 2021. No final, somou mais dinheiro neste item mesmo com os ajustes para a temporada. Veja a lista só de 2020:

1º Palmeiras - R$ 200 milhões

2º Flamengo - R$ 180 milhões

3º Grêmio - R$ 162 milhões

4º Corinthians - R$ 160 milhões

5º São Paulo - R$ 127 milhões

Com a parceria forte da Crefisa, o Palmeiras também liderou em receitas comerciais que incluem patrocínio e licenciamento. Foram R$ 134 milhões. O Flamengo ficou na segunda posição com R$ 107 milhões. Veja a lista:

1º Palmeiras - R$ 134 milhões

2º Flamengo - R$ 107 milhões

3º Corinthians - R$ 89 milhões

4º Grêmio - R$ 63 milhões

5º Inter - R$ 39 milhões

Por fim, as receitas mais afetadas foram as de Matchday, isto é, sócio-torcedor e bilheteria. Apesar da pandemia, o Flamengo seguiu na frente neste item pela lista. Foi seguido de Grêmio e Internacional que sustentaram seus sócios-torcedores com perdas pequenas:

1º Flamengo - R$ 92 milhões

2º Grêmio - R$ 71 milhões

3º Internacional - R$ 70 milhões

4º Vasco - R$ 36 milhões

5º Bahia - R$ 34 milhões

Como conclusão final, o Flamengo acabou com a maior receita do ano com R$ 669 milhões, bem abaixo da projeção do clube no início do ano. E foi seguido pelo Palmeiras por R$ 559 milhões. As diferenças dos números finais para os publicados no post anterior são fruto de critérios de arredondamento.

Rodrigo Mattos