PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Como Flamengo lida com prejuízo financeiro de troca de Dome por Rogério

Rogério Ceni é apresentado como novo técnico do Flamengo - Alexandre Vidal / Flamengo
Rogério Ceni é apresentado como novo técnico do Flamengo Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

11/11/2020 04h00

Quando Jorge Jesus optou pelo Benfica, o Flamengo perdeu seu técnico vencedor, mas teve uma economia de dinheiro. Quando a diretoria do clube decidiu pela demissão de Domènec Torrent, criou uma conta extra para o clube pagar pela rescisão em ano difícil. A questão é que o clube trabalha para minimizar essa perda e entendeu que a permanência do espanhol poderia gerar maior buraco pelo mau desempenho.

Domènec ganhava menos do que Jesus. O custo da comissão técnica espanhola representava em torno de metade do que era pago a Jesus que recebia em torno de 3,5 milhões de euros. Além disso, o Flamengo recebeu uma multa paga pelo Benfica na saída do técnico português.

A questão é que o contrato de Domènec previa que teria de ser pago todo restante do compromisso no caso de rescisão. Essa informação foi publicada inicialmente pela ESPN e confirmada pelo blog. Como o contrato ia até janeiro de 2022, o Flamengo deve teoricamente para Domènec pouco menos de 2 milhões de euros.

"É evidente que a gente terá um gasto a mais. A gente ainda está analisando. Essa parte financeira vai ter resposta", afirmou o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, em coletiva de apresentação de Rogério. Ele disse que o diretor de futebol, Bruno Spindel, e o departamento financeiro iriam tratar do assunto.

A cúpula do clube espera negociar uma redução ou parcelamento do valor integral. O movimento é também para jogar o pagamento para o próximo ano.

O prejuízo causado pela saída de Domènec foi discutido quando se decidiu pela sua saída. A questão é que se avaliou que o perda técnica, que também tem impacto financeiro, poderia ser maior com a sua permanência. A classificação para as semifinais da Copa do Brasil, por exemplo, vale R$ 7 milhões, cota dos semifinalistas.

Outro peso na decisão é que o clube já monitorava o desempenho de Rogério Ceni e entendia que era um técnico acessível para ser contratado. Ou seja, demitiu já sabendo qual seria o alvo e como seria resolvido o comando técnico do time.

Rodrigo Mattos