PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

São Paulo ataca pouco, empata com Racing e fica em desvantagem

Eder, do São Paulo, disputa bola contra o Racing - Staff Images / CONMEBOL
Eder, do São Paulo, disputa bola contra o Racing Imagem: Staff Images / CONMEBOL
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

13/07/2021 23h28

O São Paulo jogou muito desfalcado e perdeu mais um jogador lesionado, Eder, ainda no primeiro tempo. Mesmo assim abriu o placar, cedeu o empate, ficou no 1 a 1 e na partida de volta entrará em campo com um resultado que o elimina por causa do gol fora de casa assinalado pelo Racing.

Os visitantes dominavam ligeiramente a partida, mas sem claras oportunidades. Então Arias, que falhou anteriormente deixando a bola escapar e a recuperou; novamente errou. Um presente para Vitor Bueno, que agradeceu e empurrou para o gol vazio. O time argentino teve momentos de desequilíbrio após a trapalhada de seu goleiro.

Assim, os são-paulinos tiveram duas ótimas chances. A primeira com Bueno parando na defesa de Arias, a segunda com Rodrigo Nestor chutando por cima, quando o autor do gol esperava o passe, livre.

Aos poucos, o Racing se reorganizou, passou a trocar passes no campo ofensivo, até que Copete recebeu na entrada da área. Ele dominou, trouxe para o pé direito e girou para chutar forte. A zaga tricolor assistiu, e Tiago Volpi não chegou nela: 1 a 1 e fim de primeiro tempo.

Na segunda etapa, o São Paulo continuou cauteloso, mais em seu campo à espera de espaços do que pressionando lá na frente. Com 25 minutos, os tricolores, tinham 41% da posse de bola e nenhuma finalização certa após o intervalo.

Mas Volpi teve que fazer boa defesa para escanteio em chute de média distância dado por Leonel Miranda. As entradas de Benítez e Gabriel Sara geraram uma boa trama em velocidade, com chute sobre o travessão.

O Racing trabalhava mais tempo no campo são-paulino do que o inverso. E o empate com gols fora de casa era, obviamente, mais interessante. A 15 minutos do final, o São Paulo ensaiou uma subida na marcação depois de feitas substituições. Sara voltou a arrematar sobre a meta.

Ainda houve tempo para Mena cabecear para fora diante de Volpi, livre, e Benítez chutar de longe, obrigando Arias a se esticar e evitar o gol. Empate justo que deixa tudo indefinido para a peleja de volta, em Avellaneda, onde o São Paulo espera não jogar tão desfalcado. Vai precisar.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL