PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

VAR salva Galo da derrota, mas pontos perdidos atrapalham time de Sampaoli

Jorge Sampaoli no empate do Atlético, 2 a 2 - LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Jorge Sampaoli no empate do Atlético, 2 a 2 Imagem: LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

11/01/2021 22h03

Depois que goleou o Flamengo (4 a 0) no Mineirão, e bateu o Corinthians (2 a 1) em Itaquera, o Atlético sinalizava uma aparente reação na luta pelo campeonato nacional, que não conquista desde 1971. Mas a sequência que antecedeu a partida contra o Red Bull Bragantino não foi além de razoável, com 11 pontos ganhos em 21 possíveis. E o empate (1 a 1) não melhora tal retrospecto.

Mas depois que o Galo se despediu de 2020, vencendo o lanterna, Coritiba, por 2 a 0, São Paulo, líder, e Flamengo, atual campeão brasileiro e então forte candidato a brigar pelo título, perderam seus dois jogos. Ou seja, a chance de entrar de vez na briga passava pela vitória sobre o Red Bull Bragantino, na noite de segunda-feira, no interior paulista.

Mas o time de Jorge Sampaoli voltou a mostrar a irregularidade dos últimos meses do ano passado. Se teve aparente domínio na maior parte do primeiro tempo, foi a equipe da casa que abriu o placar, no último lance antes do intervalo. Assim, Ricardo Ryller cabeceou livre, sem sair do chão, para abrir o placar nos acréscimos.

O campeão mineiro voltou para o segundo tempo mais agressivo, e já finalizara cinco vezes naquela metade do cotejo, quando Savarino empatou aos 10 minutos. O Atlético ensaiava a virada, mas o Red Bull Bragantino surpreendeu e voltou a comandar o placar com Edimar fazendo 2 a 1 exatamente na metade da etapa complementar.

Se nos primeiros 45 minutos o time da casa teve posse de bola ligeiramente superior, na segunda parte da peleja ela era atleticana, sempre em torno de 63%, 64%, pelas estatísticas do SofaScore. O Galo finalizava mais, contudo, o time de Bragança Paulista, que é adepto da posse de bola, abriu mão dela, se fechou e conteve o rival.

No lance final, um pênalti marcado com intervenção do VAR permitiu a Hyoran empatar em 2 a 2. Agora são 12 pontos ganhos nos últimos 24 disputados. Resultado que não ajuda, ainda mais com o Internacional na segunda colocação, atrás apenas do São Paulo.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube