PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cores do Olimpia trazem o clima de decisão para as ruas de Assunção

Bandeira do Brasil é vendida, em Assunção, juntamente com outras do Olimpia - Bernardo Lacerda/UOL
Bandeira do Brasil é vendida, em Assunção, juntamente com outras do Olimpia Imagem: Bernardo Lacerda/UOL

Bernardo Lacerda

Do UOL, em Assunção (PAR)

16/07/2013 16h45

Ainda com os torcedores do Atlético-MG chegando aos poucos ao Paraguai, para a primeira partida contra o Olímpia, nesta quarta-feira, no Estádio Defensores del Chaco, a capital paraguaia já vive o clima de final da Libertadores. O grande número de produtos do adversário atleticano à venda nas vias públicas da cidade dá um tom de ‘shopping popular do Olimpia’.

Confirmação de jogo final no Mineirão é recebida com festa por atleticanos

  • Dionízio Oliveira/UOL

Na principal avenida de Assunção, a cada esquina se vê ambulantes comercializando camisas, bandeiras e gorros do Olimpia. A disputa por espaço é grande nas calçadas, gerando um clima totalmente nas cores do Olimpia para a decisão.

Os ambulantes disputam turistas e moradores para vender os produtos do time da casa. O preço varia de 50 mil Guaranis, em torno de R$ 25, para as camisas do clube, e 70 mil Guaranis cobrado por bandeiras, o que representa pouco mais de R$ 30.

Em lojas existentes pela cidade, bandeiras do time da casa já são expostas, assim como na porta de algumas casas. O clima da decisão da Libertadores é forte. A confiança do torcedor do Olimpia também.

“O Olimpia está bem, cresceu de produção, está bem mentalmente também, vai ser uma grande final”, disse o taxista Rodolfo Camarasa, torcedor do time paraguaio.

Alguns torcedores atleticanos chegaram ainda na segunda-feira em Assunção, mas a tendência é que a maior parte desembarque no período da tarde e noite na capital paraguaia. Alguns ambulantes, para tentar atender a população brasileira, vendem bandeiras do Brasil nas ruas do centro.

Como o Olimpia restringiu a 1.685 ingressos a carga disponibilizada aos atleticanos, bem menos que os 10% sobre a capacidade total determinados pelo regulamento, muitos torcedores do alvinegro mineiro não conseguiram entradas e desistiram da viagem ao Paraguai. Outros viajaram assim mesmo, sem bilhete, na tentativa de conseguir comprar de última hora.

Futebol