PUBLICIDADE
Topo

Carioca - 2019

Xodó antes de jogar, meia do Bota estreia com polêmica sobre apelido

Siga o UOL Esporte no

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

24/01/2019 12h00

O Botafogo empatou por 0 a 0 com o Bangu e chegou ao segundo jogo na temporada sem vitórias. Nem mesmo a volta de Erik foi suficiente. O assunto no Nilton Santos, no entanto, era outro. Reforço do time, Alessandro, conhecido e chamado pela torcida como Zé Gatinha, virou xodó antes mesmo de entrar em campo. Na última quarta-feira fez sua estreia pelo Alvinegro e dividiu opiniões. O principal debate é sobre a polêmica que envolve seu nome e apelido.

Alessandro chegou ao Botafogo no fim de 2018 e uma foto sua no treinamento viralizou entre os torcedores. Afinal, quem seria tal jogador. As informações foram chegando. Ele havia sido contratado para disputar um torneio sub-20, mas o clube não conseguiu fazer o registro a tempo.

Assim, o apoiador passou a treinar com os profissionais para um período de testes. Nesse período, a imprensa apurou que o atleta foi contratado junto ao Flamengo de Guarulhos, que disputa a segunda divisão paulista. Ele surgiu no futebol capixaba, onde ganhou o curioso apelido de Zé Gatinha.

Ao mesmo tempo, o Botafogo venceu Corinthians, Flamengo e emplacou uma série de triunfos que culminou em uma arrancada na reta final do Brasileiro. O Alvinegro se garantiu na elite e até mesmo sonhou com uma vaga na Libertadores.

Foi o suficiente para que Alessandro, ou Zé Gatinha, fosse tratado como amuleto. As brincadeiras foram tantas que o jogador virou xodó antes mesmo de entrar em campo. Nos treinamentos, o apoiador agradou e tem contrato até o fim do Carioca. 

E logo na segunda rodada, Alessandro caiu nas graças da torcida, que pediu insistentemente sua entrada durante a partida com o Bangu. "Ooo, Eee, solta o Zé Gatinha nessa porr..." e "Ahhh é Alessandro". Zé Ricardo atendeu o chamado e o que se viu foi uma cena curiosa.

A torcida, filmada pela televisão, ria da situação, encarando tudo como uma grande piada, mas com a esperança de que o jogador mudasse o rumo da partida. No campo, Alessandro visivelmente nervoso escutando as orientações do treinador.

Entrou no lugar de Rodrigo Pimpão e logo na primeira participação errou um domínio de bola. Aos poucos se tranquilizou e acertou bons passes, mas nada capaz de influenciar em uma vitória do Botafogo.

'Pela ausência do Leo Valencia e do Marcus Vinícius, só tínhamos o Alessandro como meia no banco. Já esperávamos que ele entrasse. Não foi porque a torcida pediu. Continuo insistindo que precisamos ter calma com ele, quase não teve base. Precisa trabalhar e jogar partidas de alto nível. Entrou com espaço, fez boas jogadas, mas depois abafou pelo entusiasmo, ansiedade. Demonstra a inexperiência que ele tem em partidas de Série A", disse Zé Ricardo.

No fim, os mais otimistas perceberam que Alessandro ainda não é um jogador pronto para assumir o posto de xodó. Por outro lado, o folclórico jogador terá tempo e oportunidade para mostrar se tem capacidade de compor o elenco do Botafogo para o restante da temporada. O clima está pesado no clube a paciência pode ser peça-chave nessa relação.