PUBLICIDADE
Topo

Espanhol - 2019

TV determina de estilo da grama a tamanho de mascote e 'cooler' no Espanhol

Faixas do campo e até o sentido do corte da grama são determinados em regulamento - Denis Doyle/Getty Images
Faixas do campo e até o sentido do corte da grama são determinados em regulamento Imagem: Denis Doyle/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

29/08/2018 04h00

Um dos campeonatos de futebol mais desejados no mundo, o Espanhol tem seus direitos de transmissão avaliados em alguns bilhões de euros. Trata-se de uma fonte de receita fundamental para os clubes. Para encher os cofres com tais cifras, no entanto, é preciso seguir um protocolo detalhado de obrigações, que vão desde ao tamanho da grama até as dimensões dos “coolers” na beira do campo.

Atualizado este ano, o Regulamento para Retransmissão Televisiva impõe aos clubes uma série de padronizações. Uma delas é sobre o gramado. Além de respeitarem uma altura específica da grama, os clubes devem cortá-la no sentido perpendicular às linhas laterais. As faixas escuras e claras do gramado também têm um padrão: são nove faixas em cada metade do campo, com uma largura estabelecida no documento.

Em teoria, antes de cada jogo, o responsável pelo campo deve entregar um relatório sobre as condições ao delegado da partida. Por isso, por exemplo, foi grande a revolta do Barcelona na última rodada do Espanhol, quando viu placas inteiras se soltando durante a vitória sobre Valladolid. “Vergonha” e “lamentável” foram algumas das críticas feitas pelos catalães.

Mas a padronização não para por aí. Se tiverem mascotes nas partidas, os clubes precisam respeitar um tamanho, pouco maior que o de um ser humano médio. As mascotes não podem ficar visíveis com a bola rolando, só antes e depois, e devem usar o uniforme principal do time.

Os “coolers” também se encaixam em dimensões determinadas pelo acordo com as TVs. Um clube só pode ter dois deles na frente de seu banco de reserva: um com uma marca de água e outro com a estampa de uma empresa de bebida isotônica. Cada recipiente não pode ter mais que 55cm de altura, 65cm de largura e 40cm de comprimento.

Todos esses detalhes têm como objetivo oferecer uma “homogeneização da imagem e da percepção audiovisual” do Espanhol. Ou seja, tudo é feito para que as diferenças entre um estádio e outro sejam pouco percebidas pelos telespectadores.

Preço de custo em produtos e ingressos VIP

As obrigações também afetam os produtos licenciados das equipes. Elas são obrigadas a vender pelo preço de custo até 100 mil euros (cerca de R$ 470 mil) em produtos por temporada para a LaLiga, órgão que reúne os clubes e que negocia os direitos.

“Esse material não será comercializado por LaLiga, mas será distribuído entre as operadoras de TV para decorar seus estúdios e fazer promoções com sua audiência para fidelizar e atrair mais telespectadores”, determina o regulamento.

Também há um pacote de ingressos. Em todos os jogos, o time mandante coloca à disposição da LaLiga três assentos em camarotes, 20 entradas VIP, 30 de assentos superiores e três vagas em estacionamento VIP. Todos, em teoria, são destinados a convidados das emissoras de TV, sejam assinantes ou funcionários das mesmas, para que eles vivam “in loco” a experiência de uma partida do Espanhol. E esses são apenas alguns destaques do regulamento fechado com as TVs.