PUBLICIDADE
Topo

Futebol Americano

Duelo Brady x Mahomes tem 18 anos de diferença e esboça o futuro da NFL

Tom Brady, dos Buccaneers, e Patrick Mahomes, dos Chiefs: adversários no Super Bowl 2021 - Cliff Welch/Icon Sportswire via Getty Images
Tom Brady, dos Buccaneers, e Patrick Mahomes, dos Chiefs: adversários no Super Bowl 2021 Imagem: Cliff Welch/Icon Sportswire via Getty Images

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/02/2021 04h00

O Super Bowl não definirá apenas qual time conquistará a temporada 2020 da NFL. O confronto entre Kansas City Chiefs e Tampa Bay Buccaneers marcará um duelo de gerações de quarterbacks da liga, talvez o mais aguardado do século. De um lado, Tom Brady e seus seis títulos no currículo. Do outro, Patrick Mahomes, atual campeão e o grande destaque da posição nos últimos anos.

Além de ser um confronto de gerações pela idade dos atletas - Brady com 43 anos e Mahomes com 25 anos -, será uma partida que colocará frente a frente duas formas diferentes de realizar a mesma função.

Enquanto Brady já conquistava vitórias e títulos, Mahomes era uma criança que assistia ao ídolo pela televisão e sonhava seguir os seus passos na liga. Quando o veterano venceu seu primeiro título em 2001, o jogador dos Chiefs ainda aprendia a ler e escrever.

Depois de 20 anos, eles irão se enfrentar no Super Bowl 55 e disputar o troféu de campeão.

Confronto de estilos

Brady nunca foi um quarterback móvel e a forma que usava as pernas, seja para se desvencilhar dos marcadores ou para conquistar jardas, foi alvo de muitas críticas durante toda a sua carreira. O veterano nunca se incomodou em apresentar um jogo sem muita emoção ou grandes jogadas, desde que o resultado final fosse atingido. Esta foi uma mudança de estilo evidente no decorrer dos anos do atleta na liga. Se no começo da carreira ele apostava em jogadas explosivas e com muitas jardas, hoje Brady aposta mais em passes curtos e eficientes.

A mentalidade vencedora do camisa 12 foi sempre elogiada por seus companheiros de time ou treinadores. A missão de Brady era vencer, independentemente de como isso aconteceria.

Já Mahomes consolidou uma mudança de estilo que já vinha sendo colocada em prática na NFL, e a elevou a outro nível. Há anos, os técnicos usam os quarterbacks em corridas e jogadas terrestres para surpreender a defesa adversária. O camisa 15 dos Chiefs faz isso, mas é com o braço que ele se destaca de verdade.

Você simplesmente não sabe como e para onde Mahomes irá lançar a bola. O quarterback já encontrou companheiros nas situações mais adversas, inovou com passes contra o movimento do corpo e até sem olhar para onde lançaria. Ele é tão diferenciado que foi eleito o jogador mais valioso (MVP) da liga em 2018, sua temporada de estreia como titular.

"Eu adoro quando você caminha para trás, 10, 15 jardas e, então, lança a bola 60 jardas para a frente. Você tem uma visão incrível do campo, sabe a hora certa de lançar", analisou Brady em um vídeo com o próprio Mahomes.

Em três temporadas como titular, o jogador dos Chiefs lançou 114 passes para touchdown. Como comparação, Brady lançou 69 passes para TD nos três primeiros anos nos Patriots.

O duelo entre eles é tão aguardado que o Twitter lançou um emoji especial para o confronto. Na imagem estão um bode mais velho vestido com a camisa de Brady e outro mais jovem com a camisa de Mahomes. A brincadeira faz referência ao termo GOAT (Greatest of All Time ou o melhor de todos os tempos, em tradução livre).

Há dois anos Brady levou a melhor

Ainda jogador do New England Patriots, Brady enfrentou Mahomes e os Chiefs na final da Conferência Americana na temporada 2018, a do MVP do jovem. Mesmo jogando fora de casa, o camisa 12 fez um jogo praticamente perfeito e conquistou o direito de disputar o Super Bowl 53 (venceriam o Los Angeles Rams).

Naquele jogo, os Chiefs venciam por 28 a 24 com pouco mais de dois minutos no relógio. Brady liderou a reação e virou o jogo, que só foi decidido na prorrogação.

Depois da partida, o veterano foi até o vestiário do time derrotado, conversou e incentivou Mahomes, que um ano depois revelou o que ouviu do ídolo. "A maior coisa que Tom me disse foi apenas para ficar com o processo e continuar sendo quem eu sou", lembrou.

E o futuro?

Tom Brady tem mais um ano de contrato com os Bucs e afirmou, durante a semana, que não descarta jogar depois que passar dos 45 anos, que era seu objetivo inicial. Assim, não dá para dizer que uma eventual derrota para Mahomes no Super Bowl 55 encerraria as chances dele vencer mais um anel.

"Eu definitivamente consideraria isso. Novamente, é um esporte físico. A perspectiva que tenho é que você nunca sabe quando é esse momento. Novamente, tenho que estar 100% comprometido para continuar fazendo isso", disse.

Brady tem sido a cara da liga nas duas últimas décadas. Outros grandes quarterbacks tiveram sucesso, como os irmãos Peyton e Eli Manning, Drew Brees, Ben Roethlisberger e Aaron Rodgers, para citar alguns da sua geração, mas nenhum venceu tanto como o camisa 12.

Agora, Mahomes aparece como grande nome a ocupar o trono de dono da liga. O que já fez em poucas temporadas e o potencial que tem, desde que siga saudável e tenha times competitivos, podem levar o jovem a superar o rival deste domingo.

"Eu não penso em um futuro tão distante. Estou focado neste jogo, em tentar vencer este segundo Super Bowl, segurar novamente o Lombardi Trophy e conquistar meu segundo anel. Mas, se no final da minha carreira eu tiver vários anéis do Super Bowl em minha mãos, ficarei muito feliz", disse Mahomes.

O camisa 15 assinou o maior contrato da história da NFL com os Chiefs e seguirá na franquia por mais 12 anos, pelo menos. Ele receberá quase US$ 500 milhões (R$ 2,6 bilhões) valor que Brady não chegou nem perto de receber durante a carreira (chegou em aproximadamente US$ 261,8 milhões ou R$ 1,4 bilhões).

Futebol Americano