PUBLICIDADE
Topo

Futebol Americano

NFL terá o primeiro mulçumano como técnico de uma equipe

Robert Saleh passou por quatro franquias da NFL antes de se tornar o técnico principal do New York Jets - Divulgação/NYJets
Robert Saleh passou por quatro franquias da NFL antes de se tornar o técnico principal do New York Jets Imagem: Divulgação/NYJets

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/01/2021 04h00

Na dança das cadeiras por uma vaga como técnico principal na NFL, Robert Saleh era alvo de seis das sete equipes que buscavam um novo comandante. Ao ser escolhido pelo New York Jets, o profissional de 41 anos atinge o auge da carreira depois de 16 anos na liga. Mas a escolha dos Jets tem um significado ainda maior: Saleh será o primeiro head coach de origem muçulmana na NFL.

Saleh é de família libanesa, mas nasceu na cidade de Dearborn, no estado do Michigan. A contratação é bastante significativa, já que os adeptos do islamismo são constantemente vistos com desconfiança e, por vezes, até alvos de ataques e crimes de ódio nos Estados Unidos.

A NFL tem colocado em prática diversos programas de incentivo à contratação e desenvolvimento de profissionais de minorias. A presença de mulheres nas comissões técnicas tem crescido nos últimos anos, apesar de não haver participação delas em cargos de liderança e comando em campo.

Homens negros ou de outras minorias também não marcam presença no topo da hierarquia das franquias, mas tem uma pequena representação no comando das equipes dentro de campo. Ron Rivera, técnico do Washington Football Team, é de origem latina, enquanto Mike Tomlin, do Pittsburgh Steelers, e Brian Flores, do Miami Dolphins, são negros. Saleh será o quarto representante de minoria entre 32 treinadores.

No ano passado, o site da NFL fez um longo perfil sobre o treinador e o assunto etnia também foi abordado. "É engraçado porque muitas pessoas se perguntam o que eu sou. Sou meio branco, meio negro? Sou mexicano? Sou árabe-americano. Minha mãe, meu pai e meus avós são libaneses. Sou libanês de sangue puro. Nasci em uma família de libaneses; sou casado com um libanês mulher. Eu nunca me esquivei disso", explicou.

"Julgue-me por quem eu sou, não pelo que minha etnia diz que eu sou ou como a mídia pode retratar os habitantes do Oriente Médio. Quando você olha para minha história e de onde sou - Dearborn, Michigan, que tem a maior população do Oriente Médio fora do Oriente Médio -, somos árabes-americanos tentando assimilar a cultura deste país enquanto, ao mesmo tempo, mantemos os valores que constituem os habitantes do Oriente Médio. Em Dearborn, isso inclui o futebol. É uma grande parte de nossas vidas", reforçou.

Como forma de incentivo, o San Francisco 49ers receberá duas escolhas de terceira rodada no Draft dos dois próximos anos como compensação por estimular o crescimento profissional de Saleh, responsável por coordenar a defesa da franquia nas últimas quatro temporadas (e com reações bem próprias nos jogos, veja abaixo).

Saleh montou e liderou o sistema defensivo que levou os 49ers à disputa do Super Bowl 54, em janeiro de 2020. A equipe acabou derrotada pelo Kansas City Chiefs, mas o cartaz do treinador na NFL não foi abalada. A expectativa era que ele fosse convidado para assumir uma franquia já na temporada 2020, mas ele seguiu mais um ano na equipe californiana. Em janeiro deste ano, Atlanta Falcons, Detroit Lions, Jacksonville Jaguars, Los Angeles Chargers e Philadelphia Eagles demonstraram interesse por seu serviço, mas os Jets levaram a melhor.

O muçulmano chegou à liga em 2005 e passou por Houston Texans, Seattle Seahawks, Jacksonville Jaguars e San Francisco 49ers. Saleh tem perfil motivador e costuma até participar das rotinas de treinamento dos comandados. Também já foi visto correndo nas arquibancadas do Levi's Stadium antes das partidas do time e no Hard Rock Stadium, palco do Super Bowl 54.

Agora, sua missão será aumentar a representatividade das minorias enquanto tenta resgatar uma das piores franquias da NFL. Os Jets venceram apenas duas partidas na última temporada e não disputam os playoffs desde a temporada 2010.

Futebol Americano