PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Livro lançado em português 'encapsula' vida de Ali, que hoje faria 80 anos

Muhammad Ali e o técnico Angelo Dundee: lenda do boxe completaria 80 anos hoje - ACTION IMAGES/REUTERS
Muhammad Ali e o técnico Angelo Dundee: lenda do boxe completaria 80 anos hoje Imagem: ACTION IMAGES/REUTERS
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

17/01/2022 08h19

Uma lenda do esporte completaria 80 anos hoje (17). Morto em 4 de junho de 2016, por problemas respiratórios, o ex-pugilista Muhammad Ali é o atleta que melhor personificou o espírito de seu tempo.

Para celebrar seu octogenário, um livro em português é lançado abordando com correção e franqueza sua vida, carreira e polêmicas. Acaba de subir ao tablado "Muhammad Ali - O boxe como arte e promoção pessoal", da editora Garoa Livros.

A obra de 160 páginas é um instantâneo real da complexa figura de Ali - sem a revisão quase hagiográfica a que sua trajetória seria submetida com o passar dos anos. O texto original é de 1974, logo após a vitória sobre George Foreman, no Zaire, trazendo uma bem-vinda temperatura para equilibrar a sua carreira e sua agitada vida fora dos ringues.

ali - Divulgação Garoa Livros - Divulgação Garoa Livros
Capa de livro sobre Muhammad Ali, que hoje completaria 80 anos
Imagem: Divulgação Garoa Livros

O livro acerta ao fugir das odes óbvias abrindo espaço a histórias que questionam sua tática e ética nos ringues. Como em 1967, na vitória que soltou um feroz editorial do jornal inglês "Daily Mirror" tratando Ali como "antideportista do ano" por xingar o oponente.

Fluidez e experiência

Outro acerto da obra é o projeto gráfico clássico. Letras grandes e fundo fluindo. Nada brigando por atenção. O texto traz com precisão e riqueza de estilo a "difícil criação de Ali, um menino que apanhou na rua e forjou um sentido de promoção extraordinário".

E por que ler, no papel, sobre Ali, cujos vídeos no celular brotam a cada hora? Uma das respostas poderia ser a da escritora argentina Samanta Schweblin, que repete sempre: "Há tecnologia. E há hoje mais de um formato para ler, entre o livro físico e o virtual. Mas na essência a literatura é a mesma. Ela trabalha diretamente na cabeça do leitor. Tem suas imagens próprias, suas memórias, seus medos".

E dar asas às imagens próprias é uma das reconhecidas proezas do autor, Alberto Helena Jr., "já em 1974 uma das penas mais precisas do jornalismo brasileiro", como descreve a orelha do livro.

O trabalho de Helena sempre foi um ícone do futebol, e ele brilha ao dar um clinch hermético em Ali.

"O lançamento deste livro nas comemorações dos 80 anos de Muhammad Ali é uma homenagem ao lendário boxeador e uma reverência ao mestre Alberto Helena Jr., agora também octagenário. Afinal, não é apenas a idade que os aproxima. Um com as luvas, outro com a caneta, ambos sempre flutuaram como uma borboleta e ferroaram como uma abelha", apresenta a obra.

"Muhammad Ali - O boxe como arte e promoção pessoal" custa R$ 49,90 e pode ser comparado no site da editora Garoa Livros (www.garoalivros.com.br).