PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Amizade com Chico e crítica a Felipão fizeram Helena deixar empregos

Comentarista do SporTV por mais de cinco anos, Alberto Helena deixou o canal após a Copa de 2014 - Reprodução/SporTV
Comentarista do SporTV por mais de cinco anos, Alberto Helena deixou o canal após a Copa de 2014 Imagem: Reprodução/SporTV

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

08/04/2021 04h00

Quem tinha o costume de assistir aos programas esportivos do SporTV na década passada certamente irá se lembrar do rosto de Alberto Helena Júnior. Seja no extinto "Arena SporTV" ou no "Bem, Amigos", o jornalista, hoje com 79 anos, fazia participações constantes como comentarista, mas acabou desligado após um desgaste durante a Copa de 2014.

Hoje na TV Gazeta, Alberto participa de outros programas esportivos, e contou ao UOL um pouco sobre os mais de 60 anos de carreira, incluindo aí um desgaste com o treinador Luiz Felipe Scolari, sua amizade com o cantor e compositor Chico Buarque e como foi sua migração da música para o universo do futebol.

Alberto Helena já rodou as redações dos jornais e revistas do Brasil. Aos 15 anos, já escrevia crônicas para programas de rádio. Aos 19, já era diretor de redação e se transformava em uma das referências nas editorias de cultura e música popular brasileira. A bagagem do jornalista inclui ainda passagens por veículos como TV Record (produtor), Bandeirantes (diretor e apresentador) e TV Globo (chefe de reportagem).

Amizade com Chico e o primeiro pedido de demissão

Chico Buarque - Wikimedia Commons, via Arquivo Nacional - Wikimedia Commons, via Arquivo Nacional
Imagem: Wikimedia Commons, via Arquivo Nacional

Na década de 60, um tal de Francisco Buarque de Holanda pegava no pé do amigo Alberto Helena para conseguir uma vaga no Jornal da Tarde. Naquela época, o Chico Buarque que hoje conhecemos acabou tendo participação na história que terminou com um pedido de demissão de Alberto Helena.

"O Chico queria trabalhar no jornal, e me ligou na véspera de uma apresentação do João Gilberto [então marido de Miúcha, irmã de Chico Buarque] dizendo que o João não iria mais se apresentar. Combinei de entrevistar o João antes de ele ir para a Bahia. Mas eu queria mostrar aquele João Gilberto que influenciava a música internacional, a dimensão dele para o mundo musical na época. Passei a madrugada escrevendo a matéria, e quando abri o jornal no outro dia, ela tinha sido reescrita para enfatizar as manias dele antes da apresentação que não aconteceu. Aquilo pegou muito mal e eu pedi demissão, foi uma sacanagem que fizeram com o meu texto", contou Helena. O desfecho da história acabou sendo positivo. Chico engrenou na música e Alberto no esporte.

"Teste" sobre a seleção de 70 e garrafa de uísque

No início da década de 70, todo mundo conhecia o Alberto Helena como um crítico musical, mas ele já estava cansado de trabalhar na área. Sem emprego, voltou ao Jornal da Tarde pedindo alguma vaga disponível. A única que tinha era no futebol, e seu teste para ser recontratado foi escalar seu time ideal do Brasil para a Copa do Mundo no México, em 1970.

"Fui jantar com o diretor e falou: 'eu quero que você escale a seleção brasileira para saber se você entende de futebol mesmo'. Eu escalei meu time ideal, e ele falou que batia com o dele. Até pensei que não seria contratado, porque o cara não entendia nada de futebol. Ele nunca havia visto uma bola na vida. Mas foi esse o papo", disse.

A partir daí, Alberto Helena decolou. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíadas e rodou o mundo dirigindo equipes de jornalismo. Nem mesmo o medo da estreia na TV o fez tremer diante das câmeras. Quando precisou apresentar um programa ao vivo pela primeira vez, ele arriscou ir para o ar embriagado, mas a solução surtiu efeito.

"A maior parte da minha vida foi em redação e jornal. A minha relação com câmera sempre foi muito difícil. Quando eu fui para a Record dirigir o 'Show da Noite', o apresentador era o Wilson Fittipaldi. Um dia, ele ligou dizendo que não poderia fazer o programa. Tive que tomar meia garrafa de uísque para apresentar. Mas fui bem, perdi o medo da noite para o dia e nunca mais tive problemas em aparecer na TV", completou.

Rixa com Felipão e saída do SporTV

Em um dos seus últimos trabalhos, Alberto Helena trabalhou no SporTV por cerca de sete anos. Sua história terminou após a Copa de 2014, no Brasil, segundo ele, depois que um comentário seu não foi bem recebido na concentração da seleção brasileira, fazendo com que ele pedisse para deixar o canal.

Felipão - Andreas Gebert/picture alliance via Getty Images - Andreas Gebert/picture alliance via Getty Images
Imagem: Andreas Gebert/picture alliance via Getty Images

"Me perguntaram sobre minha torcida para o Brasil na Copa. Mas eu respondi que torceria para quem jogasse melhor, que eu não tinha clube nem pátria no futebol. Depois o [Mauricio] Stycer, do UOL, publicou que o Felipão não gostou e disse que eu não poderia falar uma coisa daquela. Questionaram bastante lá na Globo. Quando eu percebi que começaram essas reclamações comigo, eu achei que estava na hora de cair fora. Liguei para a Gazeta e me transferi para lá", contou.

Desde então, Alberto Helena deixou o canal e retornou para a Gazeta, retomando a parceria com o veículo que já havia trabalhado na carreira. Hoje, ele está presente em pelo menos dois programas esportivos. De segunda à sexta, às 18h, entra no ar para o Gazeta Esportiva, ao lado de Celso Cardoso e Michelle Giannella. Às 21h de domingo, participa do Mesa Redonda, programa comandado pelo jornalista Flávio Prado. Na internet, Alberto ainda alimenta seu blog Bola Virtual, no site da Gazeta Esportiva.

Futebol