PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Começo de Crespo no São Paulo já é melhor que o de Gallardo no River

Crespo, técnico do São Paulo, comemora durante a partida contra o Santo André, pelo Campeonato Paulista - Rubens Chiri / saopaulofc.net
Crespo, técnico do São Paulo, comemora durante a partida contra o Santo André, pelo Campeonato Paulista Imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

30/04/2021 12h00Atualizada em 30/04/2021 12h28

Técnico promissor e com a missão de reconduzir um gigante às vitórias. A descrição que hoje serve para Hernán Crespo no São Paulo era também a de Marcelo Gallardo ao assumir o River Plate no segundo semestre de 2014. Assim como o hoje são-paulino, Gallardo teve um ótimo início no River, mas a comparação do seu arranque com os números de Crespo mostram um começo melhor do ex-centroavante que hoje trabalha como treinador no Brasil.

Com a vitória de ontem (29) sobre o Rentistas pela Libertadores, Crespo atingiu dez vitórias em 12 jogos no comando do São Paulo e um aproveitamento de 86,11%. A primeira dúzia de Gallardo pelo River registrou oito vitórias e quatro empates (77,77%).

O olhar para Gallardo e o River de 2014 justifica o ânimo são-paulino com Crespo. Marcelo em Núñez logo trocou a pressão pela paz para trabalhar, retribuindo com três títulos (Sul-Americana, Recopa e Libertadores) em pouco mais de um ano de clube.

Sua trajetória dá muito o que falar até hoje, pois Gallardo segue no comando e com o cartaz de ser o melhor treinador dos 120 anos de história do River. Seu trabalho é a referência de sucesso dos últimos anos do futebol sul-americano, cujo começo é até hoje um exemplo de início avassalador de um técnico no comando de uma equipe na Argentina.

Por falar em Argentina, a torcida do River e os jornalistas que cobrem a rotina do clube continuam considerando Crespo como forte sucessor ao cargo de Gallardo quando o treinador resolver colocar um ponto final no seu épico trabalho por Núñez - onde, não custa lembrar, Crespo despontou como atacante sem esconder de ninguém que um dia gostaria de ter sua oportunidade como treinador por lá. Mera projeção. Não há sinais de ele sair rápido do Brasil, como fizeram os compatriotas Ariel Holan, Daniel Passarella e Ricardo Gareca - seja pelos resultados obtidos ou por estar conforme com a estrutura e com o ambiente que encontra para trabalhar.

As estatísticas de Crespo e Gallardo ao completar 12 jogos no comando de São Paulo e River Plate, respectivamente:

Crespo - 86,6% de aproveitamento
12 jogos, com 10 vitórias, 1 empate e 1 derrota. Jogos válidos por Paulista (10) e Libertadores (2)

Gallardo - 77,7%
12 jogos, com 8 vitórias, 4 empates e 0 derrota. Jogos válidos por Sul-Americana (2), Copa Argentina (2) e Campeonato Argentino (8)