PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Renato Gaúcho pode manter hegemonia dos técnicos do RS na Copa do Brasil

Com o Grêmio, Renato Gaúcho pode conquistar sua 3ª Copa do Brasil - Silvio Avila - Pool/Getty Images
Com o Grêmio, Renato Gaúcho pode conquistar sua 3ª Copa do Brasil Imagem: Silvio Avila - Pool/Getty Images
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

06/03/2021 04h00

Campeão da Copa do Brasil em 2007, com o Fluminense, e em 2016, com o Grêmio, o técnico Renato Gaúcho briga pelo tri na competição e pode manter a hegemonia de técnicos do Rio Grande do Sul no torneio. Desde 1989, em 31 edições, eles ganharam 13 títulos, sendo os últimos 5 seguidos.

Na lista dos maiores campeões, eles também têm domínio. Felipão, com 4 títulos, é o maior campeão (1991 com o Criciúma, 1994 com o Grêmio e 1998 e 2012 com o Palmeiras). Mano Menezes, com 3 títulos, é o 2º maior vencedor (2009 com o Corinthians e 2017 e 2018 com o Cruzeiro). Já Renato Gaúcho está empatado com Levir Culpi na 3ª colocação com 2 títulos cada, podendo agora igualar a marca de Mano.

Por outro lado, o técnico português Abel Ferreira, do Palmeiras, pode se tornar o primeiro estrangeiro a conquistar a competição. Na história da Copa do Brasil, desde 1989, antes dele, apenas o colombiano Reinaldo Rueda disputou uma final do torneio, em 2017, quando perdeu a decisão para o Cruzeiro de Mano Menezes.

Técnicos campeões da Copa do Brasil (1989-2019)

Títulos por estado entre os técnicos campeões da Copa do Brasil (1989-2019)

Técnicos com mais títulos da Copa do Brasil (1989-2019)

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL