PUBLICIDADE
Topo

Posse de Bola

São Paulo de Diniz (ainda) não é candidato ao título brasileiro

Arnaldo Ribeiro

Arnaldo Ribeiro é jornalista desde 1990. Passou por Notícias Populares, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. Na revista Placar, foi editor especial e redator chefe. Passou 13 anos na ESPN. Desde 2019, é responsável (com Eduardo Tironi) pelo podcast Posse de Bola. Também é comentarista do Sportv, além de colunista do site torcedores.com.

Colunista do UOL

02/11/2020 11h27

Goleada com autoridade sobre o Flamengo no Maracanã e uma série de números e dados favoráveis: time é o líder por pontos perdidos do campeonato (tem três jogos a menos que os principais adversários); segunda defesa menos vazada (atrás apenas do Fortaleza); menor número de derrotas (só perdeu duas, para Vasco e Atlético-MG); bom desempenho contra os "grandes" (além do Flamengo, venceu Palmeiras, Corinthians e Fluminense; empatou com Inter e Santos); segundo turno "caseiro" (recebe Inter, Flamengo, Atlético-MG, Santos e Palmeiras no Morumbi; tem o Fluminense no Maracanã).

Coloque tudo isso no mesmo prato e reflita: o São Paulo, de Fernando Diniz, é ou não é candidato ao título brasileiro de 2020?

A minha resposta seria... não. Com um pouco mais de boa vontade, ainda não...

Por que não? Porque o São Paulo ainda não é um time confiável. Oscila demais. Faz grandes partidas seguidas de partidas sofríveis. Capaz de perder para Binacional e Mirassol, por exemplo. É muito vulnerável. Instável.

Mas é fato também que - iniciando novembro -, com diretoria, técnico e jogadores pressionados, o time está vivo nas três competições que disputa: Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana.

E a chave para brigar pelo Campeonato Brasileiro parece ser justamente essa: fazer opções. Nesse aspecto, o jogo contra o lanterna Goiás (sábado, no Morumbi) seria mais importante que o de quarta (Lanús, Sul-Americana, também no Morumbi). Para tentar ser campeão de alguma coisa e sair da fila, o São Paulo terá de fazer opções; até porque vai precisar inserir os jogos atrasados do Brasileiro (Goiás e Ceará fora e Botafogo em casa) no seu já apertado calendário.

Diniz não gosta de revezar o time e priorizar campeonatos, mas não vai ter muita escolha. Terá de fazer as suas. Ou o São Paulo pode sucumbir nas três frentes. Vai priorizar alguma delas? O que você faria? (Por Arnaldo Ribeiro)