PUBLICIDADE
Topo

Se está ruim para o Flamengo, imagine para os outros

Eduardo Tironi

Eduardo Tironi é jornalista desde 1992, tendo passado por Notícias Populares, LANCE! e ESPN Brasil. Atualmente é participante e editor do podcast Posse De Bola (com Arnaldo Ribeiro) e comentarista na Rádio Band. Tem um canal no YouTube com Arnaldo Ribeiro. Fora do esporte, faz o podcast SonzeraFC sobre música e futebol.

Colunista do UOL

17/04/2020 16h05

O Flamengo atrasou o pagamento pelos direitos federativos do zagueiro Léo Pereira, contratado do Athletico Paranaense.

Se fosse em qualquer outro clube brasileiro o assunto seria "pé de página" (jargão jornalístico para notícia pouco surpreendente). Afinal, estamos acostumados a ver isso toda hora no Brasil. Não deveríamos, mas estamos. Mas no caso do Fla o assunto virou manchete.

Natural. Estamos falando do clube brasileiro de maior sucesso esportivo e financeiro do momento no Brasil. Fato é que a crise do coronavírus já impacta até a agremiação mais poderosa do país, que enfrenta problemas para receber da Adidas. A fornecedora de uniformes atrasou seus pagamentos.

Rivais esfregaram as mãos. Ver o Flamengo com dificuldades é uma forma de equilíbrio atualmente. Esta é uma das maneiras de se enxergar a questão.

A outra é: se o clube mais poderoso do país já está sentindo na pele os efeitos econômicos da pandemia, imagine os outros, que têm menor poder de arrecadação e dívidas colossais.

Alguns já tomaram atitudes extremas como o São Paulo, que anunciou redução forte de salários. No Corinthians ninguém sabe o que fazer com a dívida do estádio, que aumenta a cada fim de semana sem jogo em Itaquera.

O Palmeiras, por enquanto, nada solitário em outra raia. A patrocinadora anunciou que seguirá pagando integramente.

Já os rivais cariocas do Flamengo estão em outro patamar. Já viviam na pré-falência antes da pandemia. Agora, não dá nem para imaginar a situação.

Não é à toa que todos (até o Flamengo) timidamente começam a tentar planejar a volta aos campos. Em São Paulo, de uma reunião na FPF (Federação Paulista de Futebol) saiu a decisão de terminar o Paulista da forma como começou, sem mudança de regulamento. Tudo para não haver risco de diminuição do dinheiro da TV, o que seria uma catástrofe. Datas para jogar? Depois a gente vê isso.

Se a bola demorar a voltar a rolar vai ser ruim para o Flamengo, como já está sendo. Mas tende a ser pior para os outros.