PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Posse de Bola


Ainda falta um detalhe (crucial) ao São Paulo de Diniz

Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi

Dar continuidade, atualizar e incrementar o "Posse de Bola" com informações quentes e análises ao longo da semana -- com a chancela da dupla que criou o Podcast, trabalhou junta desde os primórdios no Notícias Populares, passando pela ESPN, e hoje tem um canal no Youtube.

15/03/2020 13h33

Fernando Diniz vive seu melhor momento no São Paulo, um dos melhores na sua curta trajetória como treinador. As vitórias sobre a LDU na Libertadores e sobre o Santos, de virada, no clássico paulista foram convincentes e tiveram sua marca, a sua assinatura.

Ele passou, com sobras, por uma semana desafiadora. Um jogo crucial em casa, com Morumbi cheio. Um jogo atípico, sem torcida, contra um adversário incômodo.

O São Paulo de Diniz agora tem uma cara, uma identidade, uma maneira de jogar característica e tudo isso gira em função do seu principal jogador: o capitão, camisa 10, Daniel Alves.

O escalação titular, Daniel Alves e mais 10, está na cabeça e na boca do torcedor. É um time que se impõe e domina seus adversários.

Mas...

Mas tudo isso no Morumbi, como local, como mandante. Sob o comando de Diniz, o São Paulo fez vários jogos bons dentro de casa; desde o ano passado. Atlético-MG, Corinthians, Inter, Corinthians de novo, Ponte Preta, LDU, Santos...

Falta ao São Paulo encontrar uma forma eficiente de atuar fora de suas fronteiras. O São Paulo de Diniz é nada confiável fora do Morumbi. Teve atuações patéticas contra Cruzeiro, Palmeiras, Grêmio, a virada contra o BiNacional...

O time tem dificuldades de jogar de uma outra forma. Melhor partida sob o comando de Diniz fora do Morumbi? A primeira, dele, sem treinos. 0 x 0 com o Flamengo, no Maracanã. O único jogo em que o melhor time do país não marcou gols no Maracanã sob o comando de Jorge Jesus. É ou não é uma referência para jogos fora de casa? (Arnaldo Ribeiro)

Posse de Bola