PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Posse de Bola


Dizer o óbvio (Fla hoje não tem rivais) dói em quem não é Rubro-Negro

Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi

Dar continuidade, atualizar e incrementar o "Posse de Bola" com informações quentes e análises ao longo da semana -- com a chancela da dupla que criou o Podcast, trabalhou junta desde os primórdios no Notícias Populares, passando pela ESPN, e hoje tem um canal no Youtube.

17/02/2020 18h35

"A superioridade do Flamengo sobre os adversários brasileiros é a maior desde o Santos do Pelé? Ou teve mais time dominante assim no meio do caminho?"

Foi após este tuíte acima que eu recebi uma avalanche de críticas desde o último fim de semana até agora.

Mas refaço a pergunta: há quanto tempo não se via no futebol brasileiro uma superioridade tão grande como a do Flamengo com relação a todos os seus rivais?

Esse tema tem dado calafrios em quem não é torcedor do Rubro-Negro. O receio de ver uma supremacia (que ainda não existe, diga-se) deixa muita gente que não é flamenguista triste, cega de raiva, tentando se agarrar a qualquer passado para que isso não seja verdade.

O assunto também entrou em pauta no podcast Posse de Bola #20. (assista ao vídeo acima).

Primeiro é importante dizer que superioridade é uma coisa e supremacia é outra. Superioridade é o que o Flamengo mostra quando entra em campo para encarar qualquer adversário brasileiro. Supremacia foi o que fez o Santos do Pelé, o Fla do Zico, o São Paulo de Telê, o Palmeiras da Parmalat e outros.

Na rivalidade local, o Fla não tem adversários. Vasco, Fluminense e Botafogo hoje são sparrings.

Então vem o poderoso Grêmio do Renato Portaluppi. E toma uma sapatada de 5 a 0 na semifinal da Libertadores. Aí vem o Palmeiras e seu elenco estrelado. E toma de 3 a 1 dentro de casa.

E quando o Vasco EMPATA um jogo maluco em 4 a 4 com o Flamengo isso é tratado como se fosse uma conquista, a ponto de Luxemburgo ser lembrado para a Seleção Brasileira e, em seguida, ser contratado pelo Palmeiras.

Dizer que este Flamengo tem a maior superioridade sobre seus rivais em muito tempo embaralha a mente das pessoas, que lembram do Santos de Pelé, do São Paulo do Telê, do Palmeiras do Luxemburgo... que foram, sim, dominantes cada um em seu tempo. Exerceram a supremacia. Possivelmente foram times melhores do que o Fla atual. Mas qual deles reinou sozinho e não teve nem sequer um adversário que se pudesse olhar e dizer: este é capaz de encarar?

O Santos de Pelé teve o Palmeiras de Ademir da Guia no seu encalço. O São Paulo de Telê teve o Palmeiras de Luxemburgo como grande rival. O Palmeiras de Luxemburgo teve o Grêmio de Felipão como adversário gigante. O Corinthians de 1999 e 2000 teve o Palmeiras como pedra no seu sapato... e assim por diante.

Ah, mas teve o São Paulo do Muricy, tricampeão brasileiro. Sim, com todos os méritos conquistou tudo isso. Mas quando entrava em campo, sufocava seus rivais, impunha seu jogo, não dava chance ao adversário? Não. Sempre foi um time altamente competitivo, mas nunca impositivo. Talvez hoje fosse um grande rival para o atual Flamengo. Mas não é, porque o rival do Fla ainda não apareceu.

Quem será o grande adversário do Flamengo de Jesus? Quem você é capaz de apontar o dedo e dizer: este time vai disputar palmo a palmo com o Rubro-Negro? Façam suas apostas.

Por Eduardo Tironi

Posse de Bola