PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

Opinião: Sobre a polêmica dos testes e as falhas do protocolo

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

03/08/2020 16h24

A Federação Paulista de Futebol se juntou a especialistas para traçar um "protocolo seguro" para retorno do futebol durante (DURANTE) a pandemia do coronavírus, manteve o discurso de que o futebol estava alinhado ao Plano SP e não se apressaria, conseguiu com sucesso, a algum custo, manter unidos seus filiados na mesma toada.

Conseguiu uma ponte com a Secretaria de Esportes de SP. Conseguiu convencer a administração Doria a passar o futebol à frente da volta de outros esportes. Convenceu o Governo de SP a antecipar o Plano SP, que a princípio só aceitaria a prática de esporte coletivo quando determinada região do Estado atingisse o grau verde da flexibilização da quarentena. Conseguiu retomar seu Estadual como se nada tivesse acontecido: manteve datas, manteve quantidade de equipes, manteve fórmula de disputa.

E agora?

Conseguiu às vésperas das suas finais, que vão atrasar até rodadas do Brasileiro-20, uma polêmica desnecessária que passou pela sua omissão. OMISSÃO.

Falei mil vezes nas minhas plataformas que não havia nenhum controle de que os clubes cumpriam os protocolos. Nenhum. Só uma confiança na boa fé, no bom senso (?).

Dois dias antes da primeira final, o Corinthians jogou um trunfo na mesa: expôs em reunião formal que tinha conhecimento de que o Palmeiras não havia cumprido o Protocolo e que se recusaria a refazer testes em seu elenco, já que ele, Corinthians, estava em concentração tal qual previsto no acordo assinado por médicos de clubes, médicos convidados, Sindicatos (atletas, treinadores, árbitros) e Federação.

A FPF quis reverter. O Palmeiras reclamou do rival.

Andrés Sanchez colocou o regulamento embaixo do braço e mudou as manchetes do dia: saímos da arbitragem do final de semana; e entramos no protocolo e no descumprimento do mesmo.

Sigo considerando que, em meio à pandemia, em meio à quase 100 mil mortos, em meio à problemática flexibilização das normas de distanciamento/cuidados pessoais/reabertura, trata-se de uma decisão desnecessária do Corinthians. A imagem que passa não é boa. Mas sim, é fato, a decisão é legal e está amparada pelo tal protocolo, e liberada pela federação e pelo sindicato dos atletas (leia post anterior).

Não há como reconhecer que a leitura de bastidores de Andrés Sanchez está anos-luz à frente a de muitos de nós da imprensa e a de seus colegas de profissão. Com uma cartada, colocou FPF e Palmeiras sob os holofotes.
O que vão alegar FPF, que não cobrou cumprimento do protocolo, e Palmeiras, que não o cumpriu? Quem tem a perder fazendo dois testes nesta semana? 90% do time Corinthians já pegou...

* Atualização

Corinthians fará testes na quinta depois de FPF quase agradecer pelo "favor" em nota oficial e admitir erro na fiscalização protocolo. Ponto para Andrés Sanchez.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.