Julio Gomes

Julio Gomes

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
ReportagemEsporte

Eliminatórias da Euro: Itália pendurada e Sylvinho perto de fazer história

As eliminatórias para a Euro-2024, que será disputada na Alemanha, chegam às duas rodadas finais nesta data Fifa. E adivinhem só quem está pendurada por alguns fios? A Itália, é claro. Já estamos habituados a ver a inconsistência da Itália no universo das seleções. Ela é a atual campeã da Europa, ganhou a Euro-2020, disputada em 2021 por todo o continente, em uma mistura bizarra de pandemia com ideia esdrúxula de espalhar o torneio. Mas a Itália é também a seleção que ficou fora das últimas duas Copas do Mundo.

Entre as chamadas "grandes", a Itália é quem mais corre risco. Por enquanto, além da anfitriã, a Alemanha, são outras oito seleções já classificadas: Áustria, Bélgica, Inglaterra, França, Portugal, Espanha, Escócia e Turquia. Serão decididas 11 classificadas nos próximos dias, e as 3 vagas finais serão definidas em playoffs de jogos únicos em março do ano que vem. Foi em um playoff assim que a Itália dançou e ficou fora da última Copa por perder da Macedônia do Norte.

No atual cenário do grupo C das eliminatórias da Euro, a Inglaterra já está classificada com 16 pontos, a Ucrânia tem 13 e a Itália tem 10. Os italianos reencontram seus fantasmas nesta sexta, em Roma, e enfrentam a Macedônia do Norte. Se vencerem, poderão se classificar com um empate contra a Ucrânia, segunda-feira, em jogo marcado para Leverkusen, na Alemanha - a Ucrânia não joga em casa, logicamente, pelo fato de o país estar em guerra. Se a Itália tropeçar de novo diante dos macedônios, terão de vencer a Ucrânia na rodada final. Senão, playoff e drama novamente para não ficar fora de um grande torneio.

Além da Itália, outra seleção de peso que corre risco é a Croácia, finalista da Copa de 18 e semi em 22. Depois dos péssimos resultados recentes, a Croácia ficou com 10 pontos no grupo D, os mesmos do País de Gales - a Turquia, com 16, já está classificada. A Armênia, com 7 pontos, ainda pode sonhar e só depende de si, já que recebe Gales no sábado e depois enfrenta a Croácia na terça-feira - são dois duelos diretos. País de Gales tem a vantagem no critério de desempate contra a Croácia, então vitórias na Armênia e sobre a Turquia garantiriam os galeses na Euro. A Croácia precisa bater Letônia e Armênia e torcer por um tropeço de Gales para não depender dos playoffs.

SYLVINHO COM UM PÉ NA EURO

O grupo E é um dos mais embolados. A surpreendente Albânia, treinada por Sylvinho, pode se classificar pela segunda vez em sua história para um grande torneio - o outro foi a Euro-2016. A Albânia tem 13 pontos, a República Tcheca tem 11, a decepcionante Polônia soma 10 e a Moldova, com 9, ainda sonha. Na sexta, jogam Moldova x Albânia e República Tcheca x Polônia. Um empate já garante a Albânia, que ainda tem na última rodada um jogo em casa contra a lanterna, Ilhas Faroe.

Para entrar com a segunda vaga, a Polônia terá de vencer seu último jogo contra os tchecos e ainda torcer para a adversária tropeçar contra Moldova na última rodada. Polônia ou República Tcheca ainda poderão, no entanto, assegurar uma vaga na repescagem do ano que vem.

É possível, portanto, que Itália, Croácia e Polônia estejam na repescagem e nada impede que se enfrentem em algum estágio dos jogos únicos que definirão as últimas três classificadas para a Euro.

OUTROS GRUPOS:

Continua após a publicidade

No grupo A, Espanha e Escócia garantiram vagas, A Noruega, de Haaland, ainda pode assegurar uma vaga nos playoffs, mas está difícil. Ela precisa de uma combinação e que países que estão à frente dela no ranking garantam as vagas diretamente para a Euro. O provável "The Best" da Fifa deve ficar, de novo, fora de uma grande competição de seleções.

No grupo B, a França está classificada com 18, Holanda e Grécia têm os mesmos 12 pontos. A Holanda ganhou o controle do próprio destino ao ganhar da Grécia no último jogo, com gol de Van Dijk nos acréscimos. Basta vencer a Irlanda, em Amsterdã, no sábado e depois fazer o devem contra Gibraltar. A Grécia tem assegurada a presença nos playoffs.

No grupo F, Bélgica e Áustria garantiram vagas e a Suécia não tem nem mesmo chance de disputar vaga no playoff. É um péssimo momento do futebol sueco, que não ficava fora de uma Euro desde 1996 e que já ficou fora da última Copa do Mundo (e três das últimas quatro).

No grupo G, a Hungria tem 14 pontos, a Sérvia tem 13 e Montenegro tem 8. A Hungria enfrenta a Bulgária (fora) e Montenegro (em casa) e basta um empate para se classificar. A Sérvia só tem mais um jogo, em casa contra a Bulgária, e também só precisa de um empate para ir à Euro.

No grupo H, Dinamarca e Eslonênia, com 19 pontos, estão com a vaga na mão. Cazaquistão, com 15 pontos, enfrenta San Marino e depois viaja à Eslovênia, em um confronto direto que deve decidir um classificado direto - a não ser que os eslovenos ganhem na Dinamarca antes, na sexta-feira, e já se garantam. Cazaquistão e até a Finlândia, que também está no grupo, têm vagas garantidas nos playoffs, mas a Eslovênia ainda não - por isso precisa se garantir com uma das duas primeiras do grupo.

No gripo I, as vagas estão entre Romênia (16 pontos), Suíça (15), Israel (11) e Kosovo (10). A tabela do grupo ficou bagunçada pelos jogos adiados de Israel, que está em guerra. Israel mandará jogos na Hungria contra Suíça e Romênia e pode avançar de forma direta se vencer - no mínimo, já está nos playoffs. A última rodada tem também o duelo direto entre romenos e suíços, em Bucareste. Este post será atualizado ainda hoje com uma partida do grupo.

Continua após a publicidade

No grupo J, finalmente, Portugal já tem vaga e a Eslováquia precisa de um empate nos dois jogos finais para se garantir. A surpreendente seleção de Luxemburgo, além da Bósnia, estarão nos playoffs.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes