PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Portugal tem grupo tranquilo na Copa, mas cruzamentos complicados

Cristiano Ronaldo comemora classificação de Portugal para a Copa do Mundo - Jose Manuel Alvarez/Quality Sport Images/Getty Images
Cristiano Ronaldo comemora classificação de Portugal para a Copa do Mundo Imagem: Jose Manuel Alvarez/Quality Sport Images/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

01/04/2022 16h23

Portugal, Uruguai, Gana e Coreia do Sul formam o grupo H da Copa do Mundo. É uma das chaves menos complexas do Mundial, com dois favoritos claros. Como dizemos sempre, o futebol atual mostra que há muito equilíbrio global, qualquer um pode ganhar de qualquer um. Mas uma coisa é jogo único, outra coisa é um grupo, com três rodadas completas. As chances de zebra se dissipam.

Na Copa de 2018, Portugal estava em um grupo de características parecidas, ao lado de Espanha, Irã e Marrocos. Todos esperavam uma classificação fácil de portugueses e espanhóis. Só uma vitória para cada um e foi com emoção, mas, no fim, ambos passaram. É o que deve acontecer no Catar com Portugal e Uruguai.

E aí há um detalhe: o cruzamento de oitavas de final deste grupo H será com o G, o grupo do Brasil. Em teoria, é importante ser primeiro para "fugir" do Brasil. Mas e se a seleção brasileira passar em segundo lugar, em um grupo equilibrado com Sérvia e Suíça? O primeiro colocado do grupo H, então, pegaria ou o Brasil ou uma europeia-chata nas oitavas, depois provavelmente Bélgica, Alemanha ou Espanha nas quartas e, finalmente, França ou Inglaterra nas semifinais.

Ou seja, é um grupo tranquilo, mas um cruzamento futuro bastante complicado, se os favoritos forem avançando.

Em 2022, Portugal tem uma seleção mais forte do que tinha em 18 e mesmo em 16, quando ganhou a Euro. É verdade que Cristiano Ronaldo está quatro anos e meio mais velho, mas segue sendo um dos grandes goleadores do futebol mundial e, agora, com companheiros de altíssimo nível técnico ao lado, protagonistas do futebol europeu de clubes. O grupo oferece a chance para Portugal dar sequência ao que fez na repescagem europeia, montar uma formação mais ofensiva, corajosa, com possibilidade de vitórias que elevem o moral do grupo e deem confiança para os cruzamentos futuros. Se passar da primeira fase se arrastando, fatalmente cairá nas oitavas de novo, como foi em 2018 e 2010.

Três meses atrás, nem poderíamos cravar que o Uruguai estaria na Copa. Mas a troca de técnico deu certo, Diego Alonso começou o trabalho com tudo, a Celeste ganhou os últimos quatro jogos das eliminatórias e chega forte para a Copa. Ao lado de veteranos, estão jogadores importantes na Europa, como Valverde, Giménez e Bentancur, e um dos melhores da América do Sul, De Arrascaeta - que ganhou espaço.

Gana e Coreia do Sul não parecem ter condições de tirar um dos favoritos do grupo. Gana foi eliminada da Copa Africana de Nações ainda na fase de grupo e avançou à Copa com dois empates contra a Nigéria e um frango do goleiro rival - que gerou o decisivo gol fora de casa. A Coreia do Sul tem como grande destaque Son, do Tottenham, e o técnico é um português: Paulo Bento. Que está longe de ser um dos melhores técnicos portugueses.