PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: Palmeiras faz jogo ridículo, e Flamengo mostra caráter de campeão

Michael cumprimenta Pedro, ao marcar o gol de empate do Flamengo diante do Palmeiras - Marcello Zambrana/AGIF
Michael cumprimenta Pedro, ao marcar o gol de empate do Flamengo diante do Palmeiras Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

12/09/2021 17h57

O Palmeiras teve duas semanas para se preparar para o Flamengo. Será que se preparou para o Flamengo errado? Tipo, o titular? O fato é que entrou em campo um Flamengo super desfalcado, sem alguns de seus principais jogadores, e o Palmeiras não jogou nada. Com muita força mental e um sistema defensivo sólido, o Flamengo mostrou o caráter de um time campeão.

Geralmente, quando tem tempo para trabalhar e foca em um jogo específico, Abel Ferreira costuma mandar bem. É quando o Palmeiras cresce. Não foi o que aconteceu para o jogo enorme deste domingo.

O Palmeiras fez um jogo muito, muito fraco. Sem ideias, amarrado, sem incomodar, sem pressionar. As melhores jogadas no primeiro tempo foram contra ataques ligados por Wéverton, nenhuma construção. Em um deles, o goleiro encontrou Dudu, que encontrou Wesley, que foi para cima de Isla e meteu o gol.

O Palmeiras descobriu, ali, o "mapa da mina". Mas resolveu não aproveitá-lo. Wesley foi lá jogar do lado direito, enquanto Piquerez não incomodou como deveria pela esquerda. Dudu tampouco funcionou como armador, como havia feito contra o São Paulo. O Palmeiras não aproveitou o ponto fraco do adversário e resolveu "atacar" Ramon do outro lado - o substituto de Filipe Luís fez um jogo quase perfeito.

Se o Flamengo não tem exatamente um exímio marcador na lateral direita, do mesmo problema sofre Abel. Marcos Rocha ficou olhando enquanto Michael subia, "a la Romário", para empatar o jogo menos de um minuto depois. A construção da jogada, pelo outro lado, teve Arrascaeta e Éverton Ribeiro como protagonistas.

Não bastassem os desfalques de Gabriel Barbosa, Filipe Luís, etc, o Flamengo ainda perdeu Arrascaeta no primeiro tempo. Era totalmente do Palmeiras a obrigação de fazer jogo e dominar o adversário. Não foi o que aconteceu.

No segundo tempo, Pedro fez, de cabeça, o gol da virada. Seria importantíssimo para o Flamengo recuperar Pedro, o centroavante deprimido após ficar fora da Olimpíada. Aliás, foi dele também o gol da vitória no primeiro turno. O Brasileirão acaba com Flamengo 6 x 0 Palmeiras e isso depois de já ter levado a melhor na Supercopa do Brasil. Já são nove jogos sem vitória palmeirense neste duelo que é o maior do país no momento.

Abel mexeu no time na etapa final, mas não houve reação. O Palmeiras teve a bola no segundo tempo, mas ameaçou pouco. Jogou com pouca velocidade, pouca criatividade. E, no contra ataque, Michael, novamente para cima de Marcos Rocha, matou a partida.

Não há nem a arbitragem para Abel Ferreira usar como desculpa, como fez contra o Galo. Foi um jogo horroroso do Palmeiras, talvez o pior da temporada, dada a importância do duelo.

O Flamengo mostrou a força do elenco e mostrou, principalmente, uma defesa firme. Deu poucos espaços para o Palmeiras e fez um jogo sério, focado, sem bobeadas.

O Brasileirão vai ficando com cara de só dois times, não mais de três.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL