PUBLICIDADE
Topo

Djalminha

O problema não é o VAR

Árbitro revisa lance com auxílio do VAR no Campeonato Brasileiro - Andre Borges/AGIF
Árbitro revisa lance com auxílio do VAR no Campeonato Brasileiro Imagem: Andre Borges/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Djalminha

Djalminha jogou no Flamengo, no Palmeiras e na seleção brasileira. Após deixar os campos, virou comentarista. Hoje, comenta futebol na ESPN Brasil e, agora, no UOL.

Colunista do UOL

01/02/2021 11h05

Desde a chegada do VAR ao futebol, muita gente achou que estaria solucionado todos os problemas relacionados às injustiças da arbitragem. E, na verdade, ele ajuda, e muito, mas no quê?

Naquele polêmico gol de Hurst da Inglaterra contra a Alemanha na Copa do Mundo de 1966, ele resolveria fácil, porque a tecnologia avisaria ao árbitro se a bola entrou ou não. O gol de mão do Maradona em 1986 também seria simples para o VAR, porque a imagem mostraria que o argentino, com uma sutileza genial, enganou a arbitragem.

Mas aonde está o problema? Quando entra o ser humano. Porque eles não interpretam igual.

O jogador do Fortaleza contra o Atlético-MG no jogo de ontem está com o braço colado ao corpo, foi marcado pênalti. Em vários jogos já aconteceu esse lance, e nada foi marcado. Não veem igual. Ou melhor, não conseguem nem ver que a bola no jogo Internacional x Bragantino bate primeiro na barriga e depois na mão do atleta do Bragantino.

E agem diferente, quando o mesmo VAR avisa ao árbitro de um pênalti, uns confirmam o aviso do VAR, outros não. E o pior, nem a tecnologia eles operam com correção. Só lembrar de Atlético-MG x São Paulo no primeiro turno.

Então, senhores treinadores, dirigentes e jogadores, parem de culpar e acusar que o VAR está favorecendo a um ou a outro. Enquanto depender do ser humano, vai ter polêmica e confusão.