Diego Garcia

Diego Garcia

Siga nas redes
Reportagem

Defesa de Denilson diz que Belo não pagou parcela do acordo

O cantor Belo não pagou uma parcela do acordo que fez com Denilson, segundo a defesa do ex-jogador.

A parcela venceu em 18 de novembro, e o valor foi colocado em sigilo de Justiça. Trata-se de pagamento de honorários de advogados, que também entra no acordo entre as partes.

A defesa de Denilson fez ontem essa nova petição no processo. A Justiça ainda não se manifestou.

A coluna procurou a defesa de Belo, mas não obteve retorno. Caso se manifeste, o texto será atualizado.

O fim do processo entre Belo e Denilson

No início de novembro, a Justiça de São Paulo encerrou o processo envolvendo Belo e Denilson. O acordo feito pelas partes foi homologado pelo Judiciário e fez com que a ação judicial que começou no ano 2000 finalmente tivesse um desfecho.

A sentença foi publicada pelo juiz Carlo Mazza Britto Melfi, que declarou extinto o processo, após Denilson anexar o acordo junto ao processo.

Belo e Denilson anunciaram um acordo em suas redes sociais no dia 11 de agosto, sem divulgarem detalhes. Antes de se acertarem, o ex-jogador entendia que tinha mais de R$ 7 milhões a receber, enquanto o músico admitia pagar até R$ 4,9 milhões. As partes não comentam os termos do acerto.

Relembre o caso

A disputa entre Denilson e Belo teve início no início dos anos 2000. Em 1999, o então atacante do Bétis adquiriu os direitos comerciais do grupo Soweto — Belo era vocalista do grupo.

Continua após a publicidade

Porém, o artista de pagode deixou o grupo no ano seguinte para trilhar carreira solo e não pagou uma multa contratual ao atleta, o que fez Denilson processar Belo. A Justiça condenou o artista a indenizar o ex-amigo.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes