PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vice-presidente da CBF detona Caboclo em vídeo enviado a cartolas

Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

26/07/2021 04h00

Em vídeo enviado a cartolas do futebol e divulgado nesta segunda-feira, o vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó, detonou o presidente afastado Rogério Caboclo.

Na gravação, ao qual a coluna teve acesso, o vídeo arquitetado por Feijó enumera o que chama de diversas mentiras de Caboclo enquanto cartola da entidade.

No fim do vídeo, o vice ainda gravou uma mensagem. "No futebol tem que ter jogo limpo, dentro e fora de campo. A mentira não pode nunca vencer a verdade", afirmou.

À coluna, Feijó explicou que a motivação para produção do vídeo foi a possibilidade de perda de patrocínio da confederação pelas denúncias contra o presidente afastado.

"Ele (Caboclo) quer desviar o foco da denúncia por assédio. Em nenhum momento ele diz se cometeu assédio contra a funcionária ou não. Quer falar de outros assuntos que não interessam à CBF. O que interessa é a acusação de assédio sexual e moral. Me preocupo com os nossos patrocinadores em meio a isso", disse o vice.

Adversário político de Caboclo, na CBF, Feijó acredita que o presidente afastado quer politizar a questão de seu afastamento, enquanto os cartolas estão discutindo apenas a acusação de assédio, se houve ou não. O vice quer que o Comitê de Ética decida a questão.

No vídeo, a gravação diz que Caboclo não é confiável. Aponta que o dirigente mente quando nega não ter assediado a secretária e aponta mentiras em diversos outros assuntos envolvendo Caboclo, como quando ele diz que trabalhou pelo desenvolvimento do futebol e de patrocinadores na CBF - Feijó aponta que parte dos parceiros já estava lá quando Rogério virou presidente.

O vídeo lembra que Caboclo gastou R$ 100 mil em vinhos consumidos na CBF e viagens pela entidade, que o dirigente constrangia as vítimas e assediava a secretária, além de não ter feito nada de relevante pelo futebol brasileiro, sem se preocupar clubes.

Ainda o acusa de usar o patrimônio da CBF em benefício próprio. Denuncia que o presidente afastado usava o avião da CBF para transportar seu cachorro e familiares, e ainda declarou que Caboclo usou a presidência para conquistar prestígio e investir no futuro politico.

Acusado de assédio sexual e moral a uma funcionária, Caboclo tenta retornar à CBF. E vem dizendo que Marco Polo Del Nero, ex-presidente da entidade, está fazendo "espionagem, chantagem e tentativa de golpe". Antes aliados, os cartolas estão em lados opostos atualmente.

Áudios publicados pelo "Fantástico" mostram Caboclo questionando uma funcionária se ela "se masturba" e se "está dividida" entre dois funcionários. Caboclo está afastado da presidência da entidade desde o início do mês passado após determinação da Comissão de Ética do Futebol.

Em entrevista à ESPN realizada à época do vazamento das denúncias, Rogério Caboclo se defendeu das acusações, afirmou que provará sua inocência e que voltará ao cargo. Com o espaço vago, Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, que é o vice-presidente mais velho, retornou ao posto.