Topo

Basquete


Heat contraria tendência da NBA e usa "ritmo militar" para vencer no Leste

Ritmo intenso desde o primeiro dia de pré-temporada difere o Miami Heat do restante da NBA - Richard Mackson/USA Today
Ritmo intenso desde o primeiro dia de pré-temporada difere o Miami Heat do restante da NBA Imagem: Richard Mackson/USA Today

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/11/2019 12h00

Resumo da notícia

  • O Miami Heat, um dos melhores time da temporada, usa força máxima sempre que possível neste início de disputa.
  • A decisão da direção e comissão contraria uma tendência atual da NBA, com times cada vez mais preocupados com as suas estrelas.
  • Se franquias favoritas têm poupado atletas, o Heat usa todo o elenco e exige o máximo do físico desde a pré-temporada.
  • Os atletas têm um acompanhamento por imagens e são pesados todas as segundas-feiras. Quem não atinge o objetivo, é afastado.
  • Um símbolo desta política "militar" é o astro Jimmy Butler, que durante a pré-temporada chegou às 3h30 para praticar arremessos.

O calendário puxado de 82 jogos e o ritmo cada vez mais intenso dos jogos geraram uma nova tendência na NBA. Especialmente nas partidas em dias consecutivos, tornou-se comum grandes estrelas serem poupadas, como Kawhi Leonard no Los Angeles Clippers. Entretanto, há um time que contraria este padrão e até o momento tem somado resultados satisfatórios na liga: o Miami Heat, que usa um ritmo comparado à preparação militar para brigar pela liderança da Conferência Leste.

Em 16 partidas, a franquia da Flórida venceu 12 vezes e incomoda os líderes Milwaukee Bucks e Boston Celtics, que apareceram como favoritos ao título do Leste nas primeiras semanas da temporada. Neste período, enquanto os Bucks já pouparam o MVP Giannis Antetokounmpo, o Heat trabalha acelerado, com preparação física exigente e sem descansar estrelas como Jimmy Butler.

"Não estamos poupando jogadores, somos o Miami Heat", afirmou o técnico Erik Spoelstra, depois de usar força máxima contra o Minnesota Timberwolves, ainda na primeira semana, um dia após dura vitória contra o favorito Milwaukee Bucks, conquistada somente na prorrogação.

O ritmo intenso se tornou cultura na franquia da Flórida. Os atletas se mantêm regrados nas férias para se apresentarem em forma já na pré-temporada. Quem se descuida, não aguenta a intensidade quase militaresca. Até as estrelas, como forma de dar exemplo, se desdobram para atender às exigências da diretoria.

Antes de a bola subir para a temporada regular, o astro Jimmy Butler foi visto uma madrugada às 3h30 (horário da Flórida) no ginásio do time, enquanto abria o dia com a prática de arremessos. O treino da equipe estava marcado para as 10h, por sinal.

Jimmy Butler chegou ao CT do Miami Heat às 3h30; o treinamento começava às 10h - Kevin C. Cox/AFP
Jimmy Butler chegou ao CT do Miami Heat às 3h30; o treinamento começava às 10h
Imagem: Kevin C. Cox/AFP

Todo atleta que se incorpora ao elenco do Miami Heat tira três fotos como forma de documentar o progresso físico. O primeiro registro vem antes do início da disputa, o segundo durante a temporada e o último após o término do calendário da NBA.

A prática é nova na liga e reforça a importância dada pela franquia ao trabalho físico no mais alto nível durante o ano. Às segundas-feiras, o peso e o percentual de gordura de cada atleta são medidos. Este ineditismo do trabalho, inclusive, já fez vítimas no próprio elenco do Heat.

O veterano James Johnson foi mandado para a casa durante a pré-temporada por não atingir o nível físico exigido pela comissão técnica. Hoje, o ala de 32 anos perdeu minutos e espaço dentro do elenco. De 21 minutos em média em 2018/2019, o jogador tem 11 minutos na atual disputa.

Esta atenção ao lado físico vem dando resultados neste início de liga e elevou o Heat ao grupo de postulante aos primeiros lugares do Leste. Resta saber se alta exigência, no fim da temporada e playoffs, não será cobrada, com peças importantes machucadas ou cansadas no momento mais decisivo da NBA.

Basquete