PUBLICIDADE
Topo

Quaest para o Senado-SP: sem Datena, França lidera; Skaf e Zambelli empatam

Da esquerda para a direita: Márcio França (PSB), Paulo Skaf (Republicanos) e Carla Zambelli (PL) - Mariana Pekin/Getty Images/Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Da esquerda para a direita: Márcio França (PSB), Paulo Skaf (Republicanos) e Carla Zambelli (PL) Imagem: Mariana Pekin/Getty Images/Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Caíque Alencar

Do UOL, em São Paulo

07/07/2022 11h11Atualizada em 07/07/2022 11h11

Quaest - Pesquisa confiável -  -

Pesquisa da Quaest Consultoria, contratada pela Genial Investimentos e divulgada hoje, aponta o ex-governador Márcio França (PSB) na liderança da disputa ao Senado pelo estado de São Paulo, com 27% das intenções de voto, no cenário estimulado —quando os entrevistados recebem uma lista prévia de pré-candidatos.

Essa é a primeira pesquisa sem o nome do apresentador José Luiz Datena (PSC), que desistiu da disputa na semana passada —ele liderava a corrida para o Senado.

O ex-presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) Paulo Skaf (Republicanos) aparece com 13%, e a deputada federal Carla Zambelli (PL) tem 9%. Como a margem de erro é de 2,4 pontos percentuais para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados.

A deputada estadual Janaina Paschoal (PRTB) registrou 7%, e o vereador Milton Leite (União Brasil), 5%. Considerando a margem de erro, os dois empatam entre si e com Zambelli, mas não com Skaf.

O ex-ministro Aldo Rebelo (PDT) ficou com 3%, enquanto o ex-senador José Aníbal (PSDB), o deputado estadual Heni Ozi Cukier (Podemos), a médica Nise Yamaguchi (PTB) e o deputado estadual Ricardo Mellão (Novo) tiveram 1% cada um.

A sondagem de hoje não é comparável com a última pesquisa da Quaest, que foi divulgada em maio, já que a lista de pré-candidato foi alterada. Antes constavam os nomes de Datena, do ex-ministro Sergio Moro (Podemos), que é cotado para a Câmara pelo Paraná, e de Marina Silva (Rede). Além disso, foram incluídos os nomes de Carla Zambelli, Milton Leite, José Aníbal e Aldo Rebelo.

O levantamento ouviu 1.640 pessoas pessoalmente, entre os dias 1º e 4 de julho. O índice de confiança, segundo o instituto, é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob os números SP-05318/2022 e BR-03964/2022 e teve o custo de R$ 141.300.

Veja a seguir os cenários testados:

Cenário 1

  • Márcio França (PSB): 27%
  • Paulo Skaf (Republicanos): 13%
  • Carla Zambelli (PL): 9%
  • Janaina Paschoal (PRTB): 7%
  • Milton Leite (União Brasil): 5%
  • Aldo Rebelo (PDT): 3%
  • José Aníbal (PSDB): 1%
  • Heni Ozi Cukier (Podemos): 1%
  • Nise Yamaguchi (PTB): 1%
  • Ricardo Mellão (Novo): 1%
  • Branco/nulo/não pretende votar: 20%
  • Indecisos: 9%

Cenário 2

  • Márcio França (PSB): 30%
  • Paulo Skaf (Republicanos): 14%
  • Carla Zambelli (PL): 10%
  • Janaina Paschoal (PRTB): 8%
  • Aldo Rebelo (PDT): 3%
  • José Aníbal (PSDB): 2%
  • Branco/nulo/não pretende votar: 19%
  • Indecisos: 9%

Cenário 3

  • Márcio França (PSB): 42%
  • Janaina Paschoal (PRTB): 15%
  • Aldo Rebelo (PDT): 6%
  • José Aníbal (PSDB): 4%
  • Branco/nulo/não pretende votar: 25%
  • Indecisos: 9%

Pesquisa espontânea

Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados não recebem uma lista prévia de pré-candidatos, Datena foi citado por 1% das pessoas ouvidas, enquanto 4% citaram outros nomes. Brancos, nulos e quem não pretende votar somaram 2%, e os indecisos foram 93%.

  • José Luiz Datena (PSC): 1%
  • Outros: 4%
  • Branco/nulo/não pretende: 2%
  • Indecisos: 93%

Sobre o instituto

O Quaest é um instituto de pesquisas com sede em Belo Horizonte. Até 2020, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a empresa realizava pesquisas eleitorais só em Minas Gerais. Hoje, faz levantamentos sobre intenções de voto para presidente. O instituto tem uma parceria com a Genial Investimentos, a qual financia levantamentos sobre a corrida presidencial de 2022. As pesquisas são realizadas com entrevistas presenciais.