PUBLICIDADE
Topo

Lula, sobre pedido de ajuda de Bolsonaro a Biden: 'É se humilhar demais'

Do UOL, em São Paulo

14/06/2022 10h53Atualizada em 14/06/2022 12h08

O pré-candidato à presidência da República pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, ironizou hoje o pedido feito pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para ajudá-lo a derrotar o petista nas eleições.

"[Bolsonaro] foi lá pedir pro Biden ajudar ele a não deixar eu ganhar as eleições? Será que é verdade? Vi na imprensa americana. Eu, por Deus do céu, não acredito que seja verdade. Isso é se humilhar demais", declarou Lula em entrevista à rádio Vitoriosa, de Uberlândia (MG). Ele também publicou o mesmo comentário feito à rádio em suas redes sociais.

Segundo informações da agência americana Bloomberg, Bolsonaro teria feito o pedido durante uma reunião privada com Biden na última quinta-feira (9). Procurados, tanto o governo brasileiro quanto o americano não comentaram a informação.

O colunista do UOL Jamil Chade confirmou com duas fontes da diplomacia brasileira o pedido feito por Bolsonaro a Biden. O encontro se deu em meio à viagem do presidente brasileiro aos EUA para participar da Cúpula das Américas, em Los Angeles.

"É especulação", disse Bolsonaro

Bolsonaro, por sua vez, negou que o pedido tenha acontecido. "Olha, não existe isso daí. Houve uma reunião bilateral. No total, umas 20 pessoas presentes. Foram 30 minutos de conversa e, depois, eu pedi [uma reunião] reservada com Joe Biden. O que nós tratamos ali é reservado. Cada um pode falar o que bem entender", afirmou Bolsonaro durante entrevista à rádio CBN Recife ontem.

"Agora, [o veículo] não cita fontes: 'segundo tal pessoa'. O que eu conversei com o Biden não sai de mim nem do Carlos França. É especulação", acrescentou.

Na entrevista, Lula também cobrou que Bolsonaro aponte quais foram os pontos conversados na reunião com o líder americano, já que o atual presidente elogiou o encontro com Biden mais de uma vez.

"Quando diz que a conversa foi extraordinária, fantástica, diga o que conversou. Diga qual foi o acordo", disse o petista após classificar a Cúpula das Américas de "fracassada" devido à ausência de líderes do continente.

"O 'seu Bolsonaro' precisa ganhar coragem de conversar com povo, parar de fazer motociata, bicicletada, cavalada, aviãozada, só sabe fazer essas coisas que envolvem os milicianos dele. Vai explicar o preço da gasolina, do diesel, vai conversar com as pessoas", afirmou o ex-presidente.

Cenário eleitoral

Lula lidera as mais recentes pesquisas na corrida ao Palácio do Planalto. O ex-presidente registrou, na última pesquisa do Instituto FSB, contratada pelo banco BTG Pactual e divulgada ontem, 44% das intenções de voto contra 32% obtidos por Bolsonaro no cenário estimulado — quando os entrevistados recebem uma lista com os nomes pré-candidatos.

Já a pesquisa da Quaest Consultoria, contratada pela Genial Investimentos e divulgada na última quarta-feira (8), mostrou Lula com 46% na pesquisa estimulada, enquanto Bolsonaro registrou 30%.