PUBLICIDADE
Topo

Um dia após desistir de disputar eleições, Doria aparece ao lado de Garcia

Doria e Garcia em evento do Lide - Paulo Guereta/Estadão Conteúdo
Doria e Garcia em evento do Lide Imagem: Paulo Guereta/Estadão Conteúdo

Stella Borges

Do UOL, em São Paulo

24/05/2022 13h24Atualizada em 24/05/2022 16h00

Um dia após anunciar sua desistência de ser candidato à Presidência, o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) fez sua primeira aparição pública, ao lado do governador Rodrigo Garcia (PSDB).

Os dois chegaram juntos a um evento do Lide, grupo de relacionamento empresarial criado por Doria, realizado em um hotel em São Paulo. Nos bastidores, a falta de apoio por parte de Garcia, que tentará a reeleição, foi considerada a gota d'água para o tucano desistir de disputar a Presidência.

Os dois se sentaram lado a lado na plateia. "Paz e esperança no Brasil. O Brasil precisa de paz e precisa de esperança", disse Doria na chegada, ao ser abordado pela imprensa.

Garcia, palestrante no encontro, elogiou Doria por sua decisão. "Seu gesto de ontem, eu ouvi suas palavras, foi um gesto mais uma vez de buscar o senso coletivo, uma alternativa para o nosso tão amado Brasil", disse o governador.

"Mais uma vez você mostra seu desprendimento, mostra para aqueles que muitas vezes personalizavam suas ações que você efetivamente pensa no Brasil, dando um passo atrás, deixando a política à vontade para buscar alternativas, se é que elas existem, para que a melhor via possa apresentar uma candidatura. Você fez um grande governo e continua ao nosso lado aqui em São Paulo", declarou Garcia.

Doria não falou no evento. Na saída, em uma breve fala para jornalistas, se limitou a elogiar Garcia. "É o candidato mais preparado, é o candidato com melhores condições para dar continuidade ao trabalho que ele já vem realizando brilhantemente em São Paulo. Terá o meu apoio".

Garcia, por sua vez, evitou responder ao ser questionado se Doria estará em seu palanque. "Eu sou sucessor do Doria, trabalhei no governo, eu vou defender o nosso legado e defender as nossas ações. E ele continua dando sugestões a mim e a outros membros do PSDB sobre como gerir um estado como São Paulo e fazer uma boa gestão pública. Vamos, no momento certo, discutir a campanha", falou.

Após meses de disputa no PSDB, Doria anunciou, ontem, que não será mais candidato à Presidência.

Conforme mostrou o UOL ontem, a pressão para desistência do ex-governador não é recente e também vinha de aliados de Garcia. Devido à rejeição de Doria, o entorno do governador avaliava que associar a imagem de Doria a dele minava as chances de Garcia de ser reeleito.

Por causa disso, nas últimas semanas, o atual governador vinha ensaiando um distanciamento de Doria. "Fui vice do João Doria. Um é diferente do outro", declarou Garcia em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

O governador ainda elogiou a senadora Simone Tebet (MDB). Havia expectativa de que a executiva tucana pudesse bater o martelo sobre a candidatura da parlamentar em uma reunião hoje, mas o encontro foi cancelado.

"A senadora Simone tem o meu respeito, foi uma grande senadora, uma grande prefeita, tem atributos para representar bem essa terceira via e naturalmente agora PSDB, Cidadania e MDB vão discutir. Eu espero até que essa discussão produza o nome de uma candidatura única que mobilize outros partidos que ainda não tomaram essa decisão a também apoiar esta candidatura", afirmou.