PUBLICIDADE
Topo

Aécio defende candidatura tucana: 'Até para perder, PSDB irá perder unido'

Colaboração para o UOL

18/05/2022 13h48Atualizada em 18/05/2022 18h22

O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu hoje no UOL News que o partido tenha um nome próprio na disputa pela Presidência da República nas eleições deste ano. O parlamentar sustenta sua posição por entender que a legenda não tem identificação com o ex-presidente Luiz Inácio (PT) nem com o presidente Jair Bolsonaro (PL), que atualmente lideram as pesquisas de intenções de votos.

"Estou suando para que meu partido tenha um candidato. Não podemos apoiar um ou outro. Até para perder, o PSDB irá perder unido. Temos um projeto de país que deve ser levado à população brasileira. Eu não acho que esse jogo já acabou. Enquanto houver uma possibilidade mínima que seja, do partido ter uma candidatura, eu vou lutar por ela", declarou.

Apesar da posição, Aécio avalia que o ex-governador de São Paulo, João Doria, atual pré-candidato do partido, não é um nome adequado para representar a legenda em razão de sua alta rejeição nas pesquisas.

A rejeição do Doria é muita alta e nos coloca no colo de uma outra candidatura digna e honrada, que é da Simone [Tebet, do MDB-MS], mas que não me parece o nome mais adequado para representar essa terceira via. Na retirada do Doria, o partido [PSDB] deve se reunir e buscar um outro nome que possa representá-lo nessa disputada. Aécio Neves.

Aécio diz também que Doria é um considerado "não candidato" até pelos próprios apoiadores.

"O Doria era o bode que precisava ser tirado da sala para que a candidatura do atual governador Rodrigo Garcia pudesse prosperar, sem estar atingida pelo desgaste e pela alta rejeição (...) Aqueles que deram a ele [Doria] a vitória nas prévias, na verdade queriam tirar ele do Governo de São Paulo e hoje querem tirar da candidatura presidencial", afirmou.

Veja a entrevista completa e notícias do dia no UOL News: