PUBLICIDADE
Topo

Ipespe: Lula fica estável com 44%; Bolsonaro oscila de 31% para 32%

Do UOL, em São Paulo

13/05/2022 10h02Atualizada em 13/05/2022 13h15

Pesquisa Ipespe contratada pela XP Investimentos divulgada hoje aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente na corrida presidencial, com 44% das intenções de voto na pesquisa estimulada —quando é apresentada a lista de nomes dos pré-candidatos. O presidente Jair Bolsonaro (PL), que busca a reeleição, é o segundo, com 32%.

O petista manteve o mesmo número do levantamento anterior, divulgado na semana passada. Já Bolsonaro oscilou positivamente, de 31% para 32% —dentro da margem de erro, que é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Esse é o maior percentual registrado pelo atual chefe do Executivo federal na pesquisa Ipespe.

Com isso, a diferença entre Lula e Bolsonaro caiu para 12 pontos percentuais, a menor registrada desde julho de 2021.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) vem na sequência, com 8% das intenções de voto; o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) tem 3%, e o deputado federal André Janones (Avante), 2% —todos eles ficaram estáveis. Esses três pré-candidatos estão tecnicamente empatados, dentro da margem de erro.

A senadora Simone Tebet (MDB) registrou 1% e também ficou estável. O cientista político Luiz Felipe D'Avila (Novo) oscilou negativamente e não pontuou —na pesquisa anterior ele tinha 1%. A sindicalista Vera Lucia (PSTU), o ex-deputado José Maria Eymael (DC) e o deputado federal Luciano Bivar (União Brasil) também não pontuaram.

Tebet, D'Avila, Vera, Eymael e Bivar empatam tecnicamente com Doria e Janones. Brancos e nulos somam 7% e não sabem ou não responderam, 3%.

Para a pesquisa, o instituto entrou em contato por telefone com 1.000 entrevistados, de 16 anos ou mais, entre os dias 9 e 11 de maio. O nível de confiança é de 95,5%. A sondagem foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-02603/2022.

Veja a seguir o resultado do cenário testado para 1º turno:

  • Lula (PT): 44%
  • Jair Bolsonaro (PL): 32%
  • Ciro Gomes (PDT): 8%
  • João Doria (PSDB): 3%
  • André Janones (Avante): 2%
  • Simone Tebet (MDB): 1%
  • Felipe D'Avila (Novo): 0%
  • Luciano Bivar (União Brasil): 0%
  • Vera Lucia (PSTU): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Nenhum/não iria votar/branco/nulo: 7%
  • Não sabe/não respondeu: 3%

Pesquisa espontânea

Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados não recebem uma lista prévia de nomes dos pré-candidatos, Lula também aparece na liderança, oscilando positivamente de 38% para 39% dos votos. Bolsonaro ficou estável com 29%, enquanto Ciro oscilou negativamente de 4% para 3%.

Doria, Tebet e Janones ficaram estáveis e registraram novamente 1%; D'Avila não pontuou. Nenhum, branco e nulo somaram 8%, e os que não sabem ou não responderam, 18%.

Veja o resultado a seguir:

  • Lula (PT): 39%
  • Jair Bolsonaro (PL): 29%
  • Ciro Gomes (PDT): 3%
  • João Doria (PSDB): 1%
  • Simone Tebet (MDB): 1%
  • André Janones (Avante): 1%
  • Felipe D'Avila (Novo): 0%
  • Nenhum/branco/nulo: 8%
  • Não sabe/não respondeu: 18%

Simulações de 2º turno

A pesquisa fez a simulação de cinco cenários para o 2º turno. Lula vence contra Bolsonaro, Ciro e Doria; Bolsonaro empata, dentro da margem de erro, com Ciro e Doria.

Veja os resultados a seguir:

Cenário 1

  • Lula (PT): 54%
  • Jair Bolsonaro (PL): 35%
  • Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 10%

Cenário 2

  • Lula (PT): 52%
  • Ciro Gomes 9PDT): 25%
  • Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 23%

Cenário 3

  • Lula (PT): 55%
  • João Doria (PSDB): 20%
  • Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 25%

Cenário 4

  • Ciro Gomes (PDT): 43%
  • Jair Bolsonaro (PL): 40%
  • Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 17%

Cenário 5

  • Jair Bolsonaro (PL): 40%
  • João Doria (PSDB): 38%
  • Não sabe/não respondeu/nenhum/branco/nulo: 22%

O Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) é uma empresa de pesquisas fundada em 1986 e com sede no Recife. O instituto geralmente faz pesquisas eleitorais por telefone. Operadores ligam para eleitores selecionados conforme a distribuição de todo eleitorado brasileiro e os questionam sobre suas preferências eleitorais.