PUBLICIDADE
Topo
Meio ambiente

Meio ambiente

Fãs de Harry Potter geram crise ambiental no Reino Unido, mas há solução

Pôster de "Harry Potter e a Câmara Secreta", primeira aparição de Dobby na série  - Divulgação
Pôster de "Harry Potter e a Câmara Secreta", primeira aparição de Dobby na série Imagem: Divulgação

Camilla Freitas

25/05/2022 06h00

No meio do caminho da praia de Freshwater West, em Pembrokeshire, no País de Gales, havia uma pedra. Depois, outra, e outra, e outra até que a coisa toda saiu do controle. Hoje, uma enquete da Fundação Nacional para Locais de Interesse Histórico ou Beleza Natural do Reino Unido quer a opinião dos moradores sobre o que fazer com a situação.

As pedras não foram parar lá ao acaso. No local foi filmada a cena da morte do elfo doméstico Dobby, personagem da saga Harry Potter. Como homenagem a ele, fãs cobriram a praia de pedras e meias. Nos filmes baseados nos livros de J.K. Rowling, o elfo é libertado de sua situação de escravidão quando presenteado com uma roupa. Em Harry Potter e a Câmara Secreta, o personagem principal lhe dá uma meia e o liberta.

Para homenagear Dobby, fãs estão deixando meias e pedras pintadas no local. Luciano Frontelle, diretor executivo da Plant-for-the-Planet Brasil e fã de Harry Potter, explica que o acúmulo desses objetos na praia configura um problema ambiental.

Túmulo de Dobby, personagem de 'Harry Potter' - BBC - BBC
Túmulo de Dobby
Imagem: BBC

"Quando você fala especificamente das meias, a maior parte é feita de fibra de algodão — que, em ambientes totalmente expostos, como é o caso da praia, leva pelo menos entre 6 e 12 meses para se decompor. Mas no caso de meia de fibra sintética, a decomposição pode demorar um século, isso quando se desfaz totalmente. Já as pedras podem contribuir para uma alteração de paisagem e interferir na vida marinha", diz.

Todo mundo quer fazer parte daquela história, mas se todo mundo fizer esquecerá a história dos outros seres que vivem naquele local.

Luciano Frontelle, diretor executivo da Plant-for-the-Planet Brasil e fã de Harry Potter

Não é só culpa de Dobby

Trazendo a história para a realidade brasileira, não há ocupação de praias com homenagens a algum personagem, mas o turismo e a ocupação de áreas costeiras tem afetado a paisagem de diversas áreas do litoral do país.

Um relatório divulgado pelo programa MapBiomas afirmou que o Brasil perdeu 15% de sua superfície de areia de dunas e praias entre 1985 e 2020. O estudo aponta que uma área de 70 mil hectares — o que equivale a 96 mil campos de futebol de padrão Fifa — foi perdida.

"Quando se ocupa e se expande sob a borda das dunas, ou se retira a vegetação original, estamos fragilizando esse ecossistema costeiro e eventualmente acelerando suas modificações", explicou para o UOL César Diniz, do MapBiomas, na época da divulgação da pesquis.

Dobby é um dos personagens mais queridos do mundo mágico criado por J.K. Rowling - Getty Images - Getty Images
Dobby é um dos personagens mais queridos do mundo mágico criado por J.K. Rowling
Imagem: Getty Images

"A ocupação das praias costuma ser listada, junto a outros fatores, como uma das causas que também contribuem para alteração de paisagens a nível local. Some a isso construções e adaptações de vias devido ao aumento de fluxo de visitantes. Para os oceanos de forma geral, me preocupa outros resíduos que os visitantes possam deixar por ali e como tudo isso vai acabar afetando a vida marinha", disse Frontelle com exclusividade para Ecoa.

A forma de agir economicamente deve ser protegendo o ambiente e as comunidades tradicionais. É possível fazer um bom uso da natureza de forma sustentável para que comunidades retirem seu sustento das áreas sem destruí-las.

César Diniz, do MapBiomas para UOL Notícias

Cuidar de outras espécies assim como Dobby fez

Quando criança, Luciano Frontelle gostava de pegar as conchinhas à beira-mar. "Ficava muito feliz quando achava uma mais diferentona. Mas hoje sei que elas têm um propósito, que são importantíssimas para a vida marinha", conta.

As conchas, que já foram as "casas" de outros seres vivos marítimos, auxiliam na nutrição de plantas marinhas após sua decomposição, ajudando, mesmo que indiretamente, a reduzir a quantidade de gás carbônico do planeta. Além disso, servem de abrigo para animais e algas.

Outras medidas podem ser tomadas para que você também possa ajudar a preservar as praias, como usar protetores de origem mineral para não agredir as algas com químicos ou evitar o uso e descarte de plástico quando estiver ali. Ecoa fez um guia de sustentabilidade na praia que você pode conferir clicando aqui.

Já no caso da praia de Freshwater West, a pesquisa realizada pela Fundação Nacional para Locais de Interesse Histórico ou Beleza Natural do Reino Unido coloca como opção retirar não só as pedras e meias do local, mas também o próprio túmulo de Dobby para que os fãs não continuem deixando esses objetos por lá. A enquete fica aberta até o dia 31 de maio.

Acredito que é importante a gente lembrar que o personagem Dobby era de uma espécie diferente do Harry. E ainda assim fez de tudo, mesmo que de um jeito misterioso no começo, para ajudar o Harry e seus amigos. Sinto que é por isso que ele significa tanto para nós, fãs. Nesse sentido, meu conselho é o de também nos preocuparmos com outras espécies na hora de fazer uma homenagem. Faça sua homenagem da forma mais criativa que puder, mas tente lembrar que nessa e em qualquer outra praia, nós somos visitas na casa de muitos outros seres.

Luciano Frontelle, diretor executivo da Plant-for-the-Planet Brasil e fã de Harry Potter.

Meio ambiente