Veículos bloqueados de Hickmann têm multas, IPVA atrasado e moto roubada

Os veículos bloqueados na última semana pelo Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) a pedido da Justiça, devido a dívidas milionárias de Ana Hickmann e do marido da apresentadora, Alexandre Correa, acumulam débitos referentes a IPVA em atraso, multas de trânsito e licenciamento vencido.

A lista inclui ainda uma motocicleta Yamaha Factor YBR 125 ED 2010/2011 com registro de queixa de roubo.

A reportagem de UOL Carros obteve essas informações em consulta ao site do Detran-SP, após ter acesso aos dados dos sete veículos que constam de ação judicial movida pela cooperativa de crédito Sicredi para cobrar dívida superior a R$ 2,4 milhões da Hickmann Serviços Ltda - empresa da qual Ana e Alexandre são sócios.

A pedido da Sicredi, os carros receberam restrição judicial do tipo averbação premonitória - mecanismo previsto no CPC (Código de Processo Civil) que torna ineficaz uma eventual venda, bem como a transferência de propriedade dos bens. Na prática, funciona como uma espécie de bloqueio.

Multas e IPVA atrasado

Relação de veículos com averbação premonitória inclui VW Saveiro 2011, com Tabela Fipe de R$ 38.567
Relação de veículos com averbação premonitória inclui VW Saveiro 2011, com Tabela Fipe de R$ 38.567 Imagem: Divulgação

Dos sete veículos bloqueados pelo Detran-SP, cinco estão registrados em nome da Hickmann Serviços. É o caso da Volkswagen Saveiro 1.6 Cabine Estendida 2010/2011, picape compacta com preço médio de R$ 38.567. A caminhonete acumula R$ 791,22 em IPVA atrasado, além do débito de R$ 413,17 em multas e licenciamento vencido desde outubro.

Já o Renault Kwid Life 2019/2020, também pertencente à firma de Hickmann e com preço de R$ 42,5 mil na Tabela Fipe, tem dívida de R$ 1.620,56 de IPVA e seu licenciamento venceu em julho.

Continua após a publicidade

A relação de automóveis da empresa traz ainda uma Fiat Toro Endurance automática 2019, com Tabela Fipe de R$ 87.838. O utilitário tem registro de R$ 5.210,45 em multas de trânsito, além de licenciamento vencido desde setembro, conforme o Detran paulista.

Por sua vez, o Toyota Hilux SW4 SRX de sete lugares, carro mais caro da lista com preço médio de R$ 309.944, tem R$ 3.244,05 em multas de trânsito não pagas e licenciamento vencido desde setembro.

Outros dois veículos estão em nome de Alexandre Correa: um deles é o Honda Fit EX CVT 2019, com Tabela Fipe de R$ 80.077 - esse automóvel tem dívida de R$ 4.352,99 relativa a IPVA e licenciamento vencido desde julho.

Por fim, a picape Mitsubishi Triton Sport HPE S 2021/2022, com preço aproximado de R$ 240 mil, tem débitos de R$ 14.065,49 referente a IPVA e de R$ 7.294,65 relativo a multas de trânsito. O licenciamento da picape venceu em outubro passado.

A Sicredi também solicitou o bloqueio de um Fiat Mobi Like 2021/2022, com custo médio de R$ 52 mil, registrado em Santa Cruz do Sul (RS) em nome de Ana Hickmann - porém, o compacto, que é o automóvel novo mais barato do país, já está alienado por ter sido adquirido por meio de financiamento do banco Bradesco. Esse veículo não tem nenhuma pendência relacionada a multas, licenciamento e IPVA.

Dívidas teriam motivado briga

Ana Hickmann vive momento turbulento com dívidas e acusação de agressão contra seu marido e sócio
Ana Hickmann vive momento turbulento com dívidas e acusação de agressão contra seu marido e sócio Imagem: Reprodução
Continua após a publicidade

Em entrevista para a Record, Ana Hickmann afirmou ter sido agredida por Alexandre Correa após contar para o filho de nove anos sobre as dificuldades financeiras enfrentadas pela família, em meio às dívidas milionárias adquiridas pela empresa do agora ex-casal - o que fez com que a apresentadora entrasse com pedido de divórcio.

Reunindo ações contra os dois e as respectivas empresas, o UOL apurou que a dívida chega a R$ 7,9 milhões - desconsiderando ações em que Alexandre e Ana realizaram acordos ou parcelamentos e seguem quitando as dívidas nos prazos combinados.

Já o Safra alega que a dívida de Ana e Alexandre chega a R$ 14 milhões. O banco é uma das instituições que abriram ações de execução contra Ana Hickmann e Alexandre Correa. O Safra cobra R$ 1,5 milhão do casal em dois processos de execução distintos.

Confira a íntegra de nota enviada pelo Detran-SP

O Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran-SP) informa que, por conta da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), não são fornecidas informações cadastrais dos registros de veículos e nem dados pessoais de proprietários constantes do banco de dados do Detran-SP.

Continua após a publicidade

Ainda assim, o Detran-SP esclarece que efetua bloqueios em cadastros de veículos em decorrência de comunicação ou solicitações de agentes públicos do Sistema Nacional de Trânsito, em relação a infrações de trânsito, por documentação irregular ou veículo sinistrado.

Nos casos em que estão envolvidos veículos elencados em um processo judicial ou relacionados a um crime, o Detran-SP apenas cumpre as orientações recebidas e atende às pré-manifestações ou solicitações do Poder Judiciário ou Polícia Judiciária, para que tal restrição entre no cadastro do veículo.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Siga o UOL Carros no

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes