PUBLICIDADE
Topo

Audi retoma produção de carros no Brasil com os novos Q3 e Q3 Sportback

Novos Audi Q3 e Q3 Sportback passam a serem produzidos no Brasil - Rafaela Borges/UOL
Novos Audi Q3 e Q3 Sportback passam a serem produzidos no Brasil Imagem: Rafaela Borges/UOL

Rafaela Borges

Colaboração para o UOL

29/06/2022 12h29

Mais de um ano após encerrar a produção de modelos em São José dos Pinhais (PR), a Audi retomou as atividades dessa fábrica, que ocupa o prédio ao lado planta da Volkswagen responsável pelo T-Cross. Os modelos Q3 e Q3 Sportback de nova geração passam a ser montados em sistema SKD, com peças trazidas da Hungria.

É um sistema diferente do adotado no ciclo anterior de produção. O A3 Sedan, que também era produzido na planta (junto com o Q3 de antiga geração), tinha características específicas para o mercado brasileiro. No caso do modelo de três volumes, havia algumas etapas de fabricação no Brasil.

Investimento

Para receber os novos Q3, a fábrica recebeu investimento de R$ 100 milhões. Esse montante se une aos R$ 446 milhões investidos no ciclo anterior, para a produção ao A3 Sedan (agora importado) e do antigo Q3.

A fábrica está preparada para operar em dois turnos, com capacidade anual de montar até 4 mil veículos. Mas, de acordo com Daniel Rojas, presidente da Audi do Brasil, neste primeiro ano estão previstos apenas 1.500 exemplares.

Do total de exemplares de 2022, 70% serão da versão Sportback e 30% da carroceria SUV. O executivo diz também que o novo ciclo gera 200 empregos. "A retomada reforça a posição da Audi como marca sustentável e inovadora", afirmou Rojas.

Para marcar a retomada da produção, a Audi promoveu uma cerimônia na fábrica. A Rojas se reuniram autoridades como o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, a prefeita de São José dos Pinhais, Nina Singer, e o secretário da Comex, Leonardo Lahud (representando o ministro Paulo Guedes).

De acordo com Rojas, os R$ 100 milhões incluem investimento em novos maquinários, ferramentas, equipamentos de controle de qualidade, tecnologia da informação e logística. Em discurso, a prefeita Singer agradeceu à Audi por acreditar em São José dos Pinhais.

Histórico da produção

A fábrica da Audi sempre atuou em parceria com a Volkswagen, compartilhando plataformas. Foi assim no primeiro ciclo de produção, de 1999 a 2006. Nesse período, a primeira geração do A3 foi feita em São José dos Pinhais junto com seu irmão da VW, o Golf.

Em 2012, a Audi retomou a produção com o A3 Sedan, versão derivada da terceira geração do hatch A3. Mais uma vez, o Golf (de sétima geração) compartilhava componentes e base com o sedã da marca premium.

Desta vez, é diferente. O novo Q3 e o T-Cross, atual produto da Volkswagen em Pinhais, usam a plataforma MQB, mas em versões diferentes. A do modelo da Audi é compartilhada com o Tiguan, feito no México e atualmente não disponível no Brasil.

Já o T-Cross compartilha base com outros carros da linha nacional da Volkswagen. Entre eles, o Polo, o Virtus e o Nivus.

Q3 nacional

Nem mesmo o motor brasileiro do T-Cross o Q3 aproveita desta vez. O VW usa o 1.4 flex. A Audi optou pelo 2.0 turbo, também importado. O propulsor tem 231 cv de potência.

Os dois modelos trazem o sistema de tração quattro. Com isso, todos os carros da linha Audi passam a ser 4x4. Os preços são de R$ 315.990 para o Q3 e R$ 339.990 para o Sportback.

Os novos Q3 já estavam disponíveis no Brasil desde maio deste ano, com exemplares importados da Hungria. Agora, já estão sendo entregues as versões nacionais dos modelos.

Créditos de IPI

Quando a Audi encerrou a produção do antigo Q3, no ano passado, havia um desacordo com governo, que não devolveu à marca créditos do IPI devidos da época do Inovar-Auto. O montante é estimado em aproximadamente R$ 200 milhões.

A marca retomou as atividades na fábrica sem receber o valor devido. Porém, optou pelo sistema SKD. Mas, de acordo com Rojas, a fábrica pode ir além, de acordo com a evolução das negociações com o governo para retorno dos créditos.

O executivo não descarta a produção (não apenas a montagem) de modelos no Brasil, inclusive de elétricos e híbridos. Isso porque, mundialmente, a Audi está caminhando para 100% de eletrificação. A partir de 2026, não haverá mais novos lançamentos de modelos que não sejam eletrificados.

Atualmente, a Audi tem apenas modelos elétricos e a combustão no Brasil. Em breve, começará a vender seus dois primeiros carros híbridos no mercado nacional. Os automóveis são o Q5 e o Q5 Sportback.