PUBLICIDADE
Topo

Fiat Pulse tem novos aumentos de até R$ 4 mil e passa dos R$ 120 mil

José Antonio Leme

do UOL, em São Paulo (SP)

12/01/2022 12h38

A Fiat começou 2022 "com tudo". O seu principal lançamento de 2021, o SUV Pulse, e que já causou problemas pelos aumentos de preços que atingiram os consumidores da pré-venda, já vai ter um novo aumento de preços.

Os preços agora variam entre R$ 87.889 e R$ 123.490 da versão de entrada à mais cara. Os aumentos do SUV flutuam entre R$ 2.500 a R$ 4.000, dependendo da versão.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

A versão de entrada, Drive, que já havia subido de R$ 79.990 para R$ 83.990, agora parte de R$ 87.990. A versão Drive 1.3 AT teve aumento de R$ 3.000 e passou de R$ 93.990 para R$ 96.990.

As versões com motor 1.0 turbo e câmbio CVT - Drive Turbo, Audace e Impetus - tiveram aumentos de R$ 3 mil, R$ 2.500 e R$ 3.500, respectivamente.

Com isso os novos valores dessas versões são de R$ 104.990, R$ 112.490 e R$ 123.490 e que anteriormente eram de R$ 101.990, R$ 109.990 e R$ 119.990.

Na tabela que foi divulgada aos concessionários, a marca faz um adendo dizendo que para os compradores da pré-venda que ainda não receberam seus veículos, o valor praticado deve ser o de dezembro, quando tiveram os primeiros aumentos.

NOVA TABELA

  • Drive 1.3 MT - R$ 87.990
  • Drive 1.3 AT - R$ 96.990
  • Drive Turbo - R$ 104.990
  • Audace Turbo - R$ 112.490
  • Impetus Turbo - R$ 123.490

Procon-SP notificou a Fiat

Após matéria de UOL Carros sobre os aumentos de preços que foram de até R$ 4 mil na primeira leva, em dezembro, e que atingiu os compradores da pré-venda cujos carros não haviam sido faturados ainda, a Fiat foi notificada pelo Procon para prestar esclarecimentos.

Ao Procon-SP, a marca deverá dizer quantos consumidores fizeram a reserva e ainda não receberam os seus veículos, quantos consumidores serão prejudicados com essa mudança e se esses reajustes valem para todas as versões. Ela também precisará informar se todos os estados brasileiros serão atingidos pelo reajuste e qual a média do prejuízo que os consumidores de São Paulo sofrerão.

Na época, a Fiat justificou o aumento citando alta volatilidade do câmbio e a escassez do mercado de insumos - terá até o dia 13 de janeiro para se explicar ao Procon-SP.

Concessionários alertaram sobre aumentos no lançamento

Em outubro, logo após o lançamento, UOL Carros noticiou que concessionárias alertavam clientes de que os valores anunciados estavam vinculados a um número limitado de unidades. Em nota na época, a Fiat negou a informação relatada pelos revendedores. Quando o reajuste foi anunciado, em dezembro, apenas 3.286 veículos dos 9 mil pedidos anunciados pela montadora já haviam sido emplacados pelo preço de lançamento.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros