PUBLICIDADE
Topo

Procon-SP notifica Fiat sobre aumento de preços do Pulse antes de entregas

Fiat Pulse 1.3 Drive CVT - Divulgação
Fiat Pulse 1.3 Drive CVT Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

07/01/2022 12h08

A Fiat foi notificada pelo Procon-SP e terá que dar explicações pelo aumento no preço do Pulse aos clientes que adquiriram o SUV em pré-venda. Como já noticiado por UOL Carros, o veículo foi apresentado em outubro do último ano com valores que iam de R$ 79.990 a R$ 115.990 (preços Brasil, exceto Estado de SP), mas passou por reajustes entre R$ 2 mil e R$ 4 mil no mês passado antes de serem faturados e entregues aos compradores.

Agora, a marca - que justificou o aumento citando alta volatilidade do câmbio e a escassez do mercado de insumos - terá até o dia 13 de janeiro para se explicar ao Procon-SP.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Ao Procon-SP, a marca deverá dizer quantos consumidores fizeram a reserva e ainda não receberam os seus veículos, quantos consumidores serão prejudicados com essa mudança e se esses reajustes valem para todas as versões. Ela também precisará informar se todos os estados brasileiros serão atingidos pelo reajuste e qual a média do prejuízo que os consumidores de São Paulo sofrerão.

Além disso, o Procon-SP também quer saber como os consumidores foram informados da possibilidade de reajuste, se essa comunicação está no contrato de reserva assinado e se, quando ocorreu a previsibilidade de reajuste, os consumidores foram avisados.

A Fiat também deverá informar, no caso de desistência de compra em razão do reajuste, como os valores serão devolvidos aos clientes e se haverá alguma compensação em vista a frustração da legítima expectativa do consumidor. Ainda de acordo com a nota, o órgão também quer saber se há a possibilidade de análise individualizada dos casos para a manutenção dos valores acordados na reserva.

Vale ressaltar que, nos termos apresentados e aceitos pelos clientes durante a reserva da pré-venda, havia o aviso de que os preços poderiam ser alterados sem aviso prévio. A marca também explicava em seu site que compradores que não desejarem ficar com o carro nos novos valores podem desistir do negócio e pedir o sinal pago de volta, como é de praxe nesses casos.

Concessionários alertaram sobre aumentos no lançamento

Em outubro, logo após o lançamento, UOL Carros noticiou que concessionárias alertavam clientes de que os valores anunciados estavam vinculados a um número limitado de unidades. Em nota na época, a Fiat negou a informação relatada pelos revendedores.

Quando o reajuste foi anunciado, em dezembro, apenas 3.286 veículos dos 9 mil pedidos anunciados pela montadora já haviam sido emplacados pelo preço de lançamento.

Stellantis admite repasse nos preços

Consultada em dezembro pela reportagem sobre o aumento dos preços, a Stellantis enviou o seguinte comunicado ao UOL Carros na ocasião:

A pré-venda do Pulse foi um sucesso, e desde o início a Fiat trabalhou com transparência junto a seus clientes, informando antecipadamente o tempo de espera para cada versão. O mercado de insumos e a alta volatilidade do câmbio impedem a manutenção do preço dos veículos entre a reserva e o faturamento, mas, mesmo assim, a Fiat garantiu o valor anunciado para todos os clientes do Pulse que fossem receber seu veículo em até 30 dias. O sucesso do SUV fez com que o tempo de espera por algumas versões chegasse a até 90 dias, sendo necessário o repasse nos preços. Reforçamos que a possibilidade de reajuste foi informada antecipadamente aos consumidores pelos concessionários e registrado no contrato de reserva.

A economia brasileira está passando por um momento desafiador por conta da inflação elevada, e o reajuste dos valores não é uma exclusividade da indústria automotiva, tendo se repetido em setores como serviços, eletrodomésticos e matéria-prima. A Fiat trabalha junto a seus fornecedores para manter o preço de seus produtos competitivos, o que resultou no sucesso de vendas de seus últimos lançamento.

Na internet, clientes já falam em desistir do carro

compradores do Fiat Pulse - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

A reportagem entrou em contato com clientes que pagaram o sinal de R$ 3 mil logo na abertura da pré-venda e até agora não tiveram seu carro faturado, ou seja, terão que pagar o novo preço se desejarem ter o Pulse na garagem.

Na internet, em grupos de proprietários e futuros donos, clientes que não receberam o valor já falam em desistir do negócio com os aumentos anunciados. Alguns relatam que o voucher emitido no pagamento do sinal traz o preço final a ser pago, enquanto outros, que fizeram a reserva após o fim de outubro, dizem que seu voucher já não traz mais o valor total.

"Injusto o que a Fiat está fazendo, reservei meu Pulse Impetus no dia 22 de outubro pelo site, com prazo de 90 dias. Agora vão repassar um aumento de R$ 4.000. O sucesso da Fiat com esse carro deve se muito a quem reservou e comprou logo no lançamento. Estou me sentindo enganado com tanta demora", disse o internauta Rodrigo Silveira.

"O meu foi faturado hoje [13/1] e veio com aumento, sendo que comprei no dia do lançamento. Infelizmente, não terei o Pulse", afirmou Matheus Manezes.

Em concessionárias consultadas no interior e na capital paulista, consultores de venda confirmaram que quem reservou na pré-venda e cujo exemplar ainda não foi faturado terá que pagar a nova tabela.

Para não perder as vendas, algumas revendas estão negociando individualmente com clientes como amortizar esse valor. Uma concessionária na Zona Norte de São Paulo disse à reportagem que, "dependendo dos termos da negociação que foi feita, ela poderá assumir a diferença dos novos preços".

fiat pulse compradores - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.