Topo

Coluna

Fernando Calmon


Novo Chevrolet Onix Sedan chega em setembro com turbo e tamanho de Cobalt

Fernando Calmon

Fernando Calmon, engenheiro, jornalista e consultor, dirigiu a revista Auto Esporte e apresentou diversos programas de TV. Escreve às terças-feiras.

Colaboração para o UOL, em Indaiatuba (SP)

11/04/2019 12h30Atualizada em 25/06/2019 18h40

Resumo da notícia

  • Sedã vem antes do hatch, mas ambos deverão usar o nome Onix
  • Novos carros estão em desenvolvimento no Brasil e na China
  • Setembro marca início de fabricação do sedã
  • Hatch começa a ser fabricado em outubro
  • Motor turbo é prioridade para novos carros
  • Família Onix será responsável por 20% das vendas da GM no mundo

A General Motors do Brasil revelou, pela primeira vez de forma oficial, informações concretas sobre a nova geração de Onix e Prisma, inclusive mostrando um dos novos modelos, ainda que sob disfarce, em seu campo de provas em Indaiatuba (SP). Falou pouco, porém. Mas UOL Carros conseguiu apurar que a nova geração vai mesmo se valer de motores turbo de três cilindros e que o nome Onix vai prevalecer tanto para o hatch, quanto para o sedã, que até então é chamado de Prisma.

Significa que Brasil vai mesmo compartilhar estratégia iniciada na China, ainda que R$ 10 bilhões tenham sido anunciados para melhorar as unidades da GM que fabricarão os novos carros no país, ao longo dos próximos cinco anos. São Caetano do Sul (SP), Gravataí (RS) e Joinville (SC) já haviam sido modernizados com o ciclo anterior de investimento e estão prontas para esta nova geração dos modelos compactos. Apenas São José dos Campos (SP) precisava de confirmação, sendo dedicada principalmente aos projetos sobre chassis da nova picape S10 e da configuração SUV, o Trailblazer.

Depois, na China, onde a nova geração do Onix já estreou, Brasil começará a fabricar os modelos em setembro, com o sedã sendo o primeiro na linha de produção. O novo Onix Hatchback vem depois, em outubro.

Silhueta ampliada e turbo

Sob disfarce ainda um tanto pesado, esse novo sedã foi mostrado ao lado do atual Prisma e também do atual Cobalt. Silhueta claramente foi ampliada, posicionando o novo modelo muito próximo do Cobalt, talvez com diferença de 1 ou 2 centímetros.

GM se recusa a fazer qualquer detalhamento de estratégia nesse momento, mas apostamos que o Cobalt seguirá à venda num primeiro momento, ficando "à mercê" do interesse do comprador -- ou seja, sendo substituído conforme o interesse for minguando.

Outro ponto que já podemos explorar, apesar dos disfarces, é que o carro brasileiro terá características e estilo muito semelhantes, mesmo, às do modelo chinês. Apêndices em forma de copo ocultam as lanternas de forma até "lúdica", mas elas devem seguir o formato horizontalizado e com interior de LED do modelo chinês. Na lateral, deveremos ter também repetidores de seta nos para-lamas, ainda cobertos por "máscaras" extras.

Grade será tão recortada e amplificada quanto a chinesa e também é possível intuir a iluminação reforçada por LEDs, que devem ser usadas nas configurações mais caras dos modelos.

Nova família de motores pequenos, leves e eficientes: três cilindros com uso de turbo em algumas aplicações; quatro cilindros em outras; diferentes capacidades, de 1 litro, 1,2 litro, 1,4 litro e 1,5 litro.

Linha global

Quando foi lançado em 2012, sobre plataforma derivada de uma evolução da base europeia do Opel Corsa 4, o Onix se converteu na tábua da salvação da Chevrolet no Brasil à época: de incógnita, deu origem a uma linha renovada (Prisma, Cobalt e Spin), tornou-se o carro mais vendido do Brasil (desbancando VW Gol, Fiat Palio, Ford Fiesta e Ka e Hyundai HB20) e também da América do Sul. Um feito, mas apenas isso, uma vez que não era global. Tanto que a GM do Brasil afirmou não ter tido lucro nos últimos anos (desde 2013, apenas 2017 foi um ano bom, com US$ 100 milhões no azul).

Já a nova geração do Onix, desenvolvida na China, com participação da GM América do Sul (e que já vem sendo esmiuçada por UOL Carros há quase três anos), está sendo feita na medida para dar lucratividade ao máximo. Com nova plataforma modular (a GEM), as vendas de Onix, Onix Sedan e dos demais lançamentos serão responsáveis por 20 (um quinto) das vendas globais da GM até 2022. É muita coisa.

Na China, país que demanda velocidade, os novos modelos devem se juntar a um total de 20 novidades (incluindo nove elétricos) que serão mostrados ainda este ano. No Brasil, a janela de apresentação será mais ampla, alongada, e farão parte de uma lista de 30 modelos (20 realmente novos) que já começou a ser contada desde o ano passado e vai até 2022.

Assim, a "família do novo Onix" terá cinco variantes de carroceria, conforme os planos pontuados por UOL Carros ao longo do tempo: hatch compacto, sedã compacto, substituto para Spin e substituto para a picape Montana, além do novo Tracker.

Porte encosta no do Cobalt reforçando oferta de espaço na cabine - Divulgação
Porte encosta no do Cobalt reforçando oferta de espaço na cabine
Imagem: Divulgação

Tabela Fipe

Você sabe quanto variou o preço do seu carro nos últimos meses?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Fernando Calmon