Topo

Coluna

Fernando Calmon


Venda de carros cresce 10% em janeiro; mercado prevê 2019 animado

Fernando Calmon

Fernando Calmon, engenheiro, jornalista e consultor, dirigiu a revista Auto Esporte e apresentou diversos programas de TV. Escreve às terças-feiras.

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

06/02/2019 12h30

Resumo da notícia

  • Foram quase 200 mil carros novos emplacados
  • Segmento de usados também está aquecido
  • Lojistas e fabricantes falam em 2019 "animado"
  • Na contramão, alguns Estados aumentaram ICMS

O ano começou bem para a indústria automotiva brasileira. Em janeiro venderam-se quase 200.000 unidades, entre veículos leves e pesados, resultado 10,2% superior ao mesmo mês de 2018.

Com total de 190.752 unidades, o ritmo diário ficou em torno de 9.100 emplacamentos, pouco abaixo do patamar instigante de cinco dígitos (10.000/dia).

Tudo dentro do esperado pela Fenabrave (associação das concessionárias) para o primeiro mês do ano, quando o consumidor enfrenta despesas extras. Sua previsão de crescimento para 2019 é de 11,2%, quase igual à da Anfavea, de 11,4%, embora as metodologias de cálculo não sejam coincidentes.

ICMS sobe, compra cai

Uma notícia ruim, do final de 2018. Quatro Estados nordestinos -- Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Sergipe -- decidiram aumentar as alíquotas do ICMS sobre veículos. Difícil de entender como esse erro se repete. Mais provável ocorrer um efeito contrário: arrecadação cair em vez de aumentar, pois a carga fiscal no Brasil é a mais elevada do mundo. O comprador se retrai ou simplesmente vai adquirir o carro no Estado vizinho.

Usados vão bem

Em relação ao mercado de automóveis de passageiros usados, a Fenabrave informou: para 1 milhão de modelos novos vendidos, 4,7 milhões de usados mudaram de mão. Um levantamento da Creditas, plataforma de crédito com garantia online, apontou uma tendência em trocar dívidas caras por mais baratas: mais da metade dos tomadores de crédito com garantia em 2018 utilizaram o dinheiro para esse fim.

Os juros para financiamento de veículos usados (começam em torno de 22% ao ano) são mais baratos e têm prazos melhores que o crédito pessoal. "Isso mostra a educação financeira do brasileiro evoluindo e as pessoas começam a avaliar a qualidade do dinheiro", destaca o CEO e fundador da empresa, Sergio Furio.

Consumidores entre 25 e 35 anos representam 35% dos tomadores de crédito com garantia do veículo. Valores médios vão de R$ 5 mil a R$ 10 mil. Os cinco modelos mais refinanciáveis são Gol, Fiesta, Palio, Fox e Celta.

Siga o colunista

Fernando Calmon no Facebook
@fernandocalmon no Twitter
@fernandocalmonoficial no Instagram

Alta Roda

Alta Roda
Imagem: Alta Roda
+ Pneus run flat (rodam vazios) estreiam em SUV compacto. Ford EcoSport Titanium 2020 (lançado já agora, em fevereiro) pode rodar 80 km, a 80 km/h, mesmo que uma furadeira tenha aberto um orifício de 19 mm na lateral do pneu para teste. Kit inflador acrescenta até 200 km em caso de furos comuns. Cada pneu Michelin custa R$ 900, 37% mais caro. Há ganho de 13 kg, sem estepe e ferramenta, o que pode refletir em pequena economia de combustível. Versão custa R$ 103.890.

+ Maiores destaques da décima geração do Honda Accord são o espaço interno (2,83 m de entre-eixos) e o trem de força. Além de respostas vigorosas, o automático de 10 marchas impressiona: a 120 km/h o motor turbo "sussurra" a apenas 1.800 rpm. Há botões no lugar da alavanca de câmbio e tela multimídia está bem posicionada. Preço elevado atrapalha: R$ 198.500.

+ Código de Trânsito Brasileiro (CTB) acabou de completar 21 anos. Nasceu com 341 artigos. Segundo o consultor Julyver Araújo, 34 leis e 770 resoluções foram acrescentadas. Entre as frustrações estão ITV (Inspeção Técnica Veicular) e educação de trânsito, nunca implantadas. A partir de março próximo, haverá multas para ciclistas e pedestres. Tudo indica, não vai "pegar"...

+ Estudo da TEx, proprietária de um programa de gestão e multicálculo para corretoras de seguros, aponta que os prêmios diminuíram de preço em todas as capitais brasileiras entre meados de 2018 e começo deste ano. Foram consideradas mais de 2 milhões de cotações reais feitas nos últimos 60 dias. A empresa não apontou causas: concorrência ou queda de sinistros.

Tabela Fipe

Você sabe quanto variou o preço do seu carro nos últimos meses?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mais Fernando Calmon