PUBLICIDADE
Topo

Liga-SP defende realização do Carnaval com máscaras e passaporte de vacina

Organização ressalta que eventos ao ar livre já acontecem na capital paulista - Reprodução/Instagram
Organização ressalta que eventos ao ar livre já acontecem na capital paulista Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

26/11/2021 13h37

A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo (Liga-SP) publicou hoje um manifesto defendendo a realização dos desfiles de Carnaval em 2022 com medidas como a obrigatoriedade do uso de máscaras e do comprovante de vacinação.

"Os Desfiles das Escolas de Samba de São Paulo são um espetáculo a céu aberto. Em outras palavras, o evento é como um show com plateia sentada, como um jogo de futebol com torcida, ou como a Fórmula 1. Se estivesse marcado para novembro de 2021, o Carnaval do sambódromo teria totais condições sanitárias de acontecer", diz o texto.

A organização argumenta que a cidade de São Paulo tem 100% de sua população vacinada contra covid-19, e que o evento seria o "Carnaval da Vida", realizado com respeito aos milhares de óbitos por coronavírus no país.

"Diga SIM ao Carnaval. Diga NÃO ao negacionismo, à irresponsabilidade, ao elitismo e ao preconceito contra a cultura popular", defenda a Liga-SP no manifesto.

Ontem, o secretário de saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou que "não é hora de falar em Réveillon ou Carnaval" enquanto mais de 50% dos jovens entre 12 e 29 anos do estado ainda não tomaram a 2ª dose da vacina contra covid-19, que reduz a transmissão da doença e os riscos de internação e morte.

"Essa discussão [sobre os eventos] tem que ser muito cautelosa e responsável porque nós temos ainda que avançar na proteção da nossa população com relação à imunização", afirmou Gorinchteyn. "É importante que os 645 municípios tenham isso em foco, temos que continuar protegendo a nossa população".