Topo

Minas Gerais


Foliões viram Krishna para pedir preservação das águas em Minas Gerais

Pintados de azul, foliões viram Krishna em Minas Gerais - Divulgação
Pintados de azul, foliões viram Krishna em Minas Gerais
Imagem: Divulgação

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL

23/02/2017 04h00

Ao som do ritmo negro do ijexá, centenas de foliões com a pele pintada de azul como a divindade hindu Krishna vão encher de poesia o pequeno distrito de Morro Vermelho, na cidade histórica de Caeté, Minas Gerais, na manhã deste domingo (26) de Carnaval.

É quando desfila no local o Pena de Pavão de Krishna, ou apenas PPK para os iniciados. O bloco criado em 2013 mistura as culturas afro-brasileira e indiana, ao som de afoxés, em um desfile que atrai os mais zens da folia belo-horizontina.

No desfile do ano passado, que atraiu 5.000 pessoas segundo a Polícia Militar, o PPK já havia procurado um lugar mais afastado do centro da capital mineira, o bairro Castanheiras –os moradores de lá agora serão levados a Morro Vermelho.

Neste ano, o PPK resolveu radicalizar, se embrenhando em um dos últimos resquícios de Mata Atlântica nas proximidades da capital mineira. Preocupados com a espiritualidade, alguns foliões meditam antes do desfile.

Tudo para saudar os mananciais aquáticos constantemente ameaçados pela mineração. “Este ano o Pena de Pavão de Krishna abraça a temática das águas. A vontade surgiu desde 2015 quando houve o rompimento da barragem da Samarco em Mariana”, conta Gustavito, um dos organizadores do bloco e seu vocalista.

“Sendo mineiros, carregamos o fardo da mineração”, fala o cantor, lembrando que o Estado é também rico em mananciais, que não são preservados.

“O Pavão vai voar, levar processos de cura para lugares importantes de Minas Gerais”, afirmam os organizadores. Eles querem chamar a atenção para o movimento Salve a Serra do Gandarela, que quer transformar a região em um parque, protegendo-o dos interesses das grandes mineradoras.

Os organizadores pretende que o cortejo seja “uma acupuntura, uma massagem, um canto devocional de diversas crenças para processos de cura destas regiões agredidas por uma história de exploração da paisagem e dos povos que ali habitam”.

São bem-vindos os que estão em busca de algo além do pula-pula carnavalesco. Os integrantes do PPK dizem que seu propósito é “a transformação, o amor e a cura”.

Bloco Pena de Pavão de Krishna
Quando: Domingo (26), 9h, em frente à Capela Nossa Senhora do Rosário, em Morro Vermelho, distrito de Caeté (MG)
Transporte: Para levar os foliões até o cortejo, ônibus sairão às 6h30 da praça da Estação, no centro de BH, ao preço de R$ 17 ida e volta (pagamento com dinheiro trocado na hora) para aqueles inscritos previamente em link disponibilizado no evento no Facebook do PPK.