PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Secretária: 3ª dose será feita 'preferencialmente' com vacina da Pfizer

Do VivaBem, em São Paulo

25/08/2021 13h35Atualizada em 25/08/2021 14h52

A secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite, explicou hoje, em entrevista ao UOL News, que a aplicação da terceira dose da vacina contra covid-19 será "preferencialmente" com o imunizante da Pfizer, mas também poderá ser feita com outra vacina de vetor viral, como da Janssen e da AstraZeneca.

"Como o coronavírus tem nos ensinado, são os trabalhos que têm mostrado, tem se mostrado que a efetividade não que nós não possamos usar a CoronaVac, sabemos que tem um país que está utilizando [como terceira dose], mas como essa população já tem a sua imunossenescência, seu sistema imunológico já tem uma certa deficiência, então, os estudos mostram que é melhor usar o esquema ou com a Pfizer ou com uma [vacina] de vetor viral", esclareceu ela.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou a aplicação da terceira dose da vacina contra a covid-19 a partir do dia 15 de setembro em idosos com mais de 70 anos e imunossuprimidos.

Ela explicou que a terceira dose será aplicada independentemente da marca do imunizante que as pessoas pertencentes a esse grupo tenham tomado anteriormente.

A partir do dia 15 de setembro, serão enviadas aos estados as doses de reforço para os imunossuprimidos — pessoas com câncer ou transplantados, por exemplo — que tenham tomado a segunda dose há pelo menos 28 dias e de idosos com mais de 70 anos que tenham tomado a segunda há pelo menos seis meses.

A aplicação nos idosos seguirá ordem cronológica, do mais velho para o novo. A secretária disse que o país tem doses de vacina suficientes para aplicação da terceira dose.

Rosana esclareceu que a pasta aguarda estudos para definir sobre a aplicação da terceira dose em outros grupos.

Saúde