PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

SP diz que impasse com Saúde não foi resolvido e ameaça judicializar

Arquivo; Segundo a gestão de João Doria (PSDB), o estado recebeu 228 mil unidades de Pfizer a menos na semana passada - Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
Arquivo; Segundo a gestão de João Doria (PSDB), o estado recebeu 228 mil unidades de Pfizer a menos na semana passada Imagem: Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo

Lucas Borges Teixeira

Do VivaBem, em São Paulo

09/08/2021 08h55Atualizada em 09/08/2021 11h16

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, voltou a ameaçar o Ministério da Saúde de judicialização caso o estado não receba as doses que o governo paulista diz estarem faltando. Segundo a gestão de João Doria (PSDB), o estado recebeu 228 mil unidades de Pfizer a menos na semana passada.

Para tentar resolver a situação, Gorinchteyn encontrou-se com o ministro Marcelo Queiroga em Brasília na última sexta (6). Segundo ele, as tratativas seguiram durante o final de semana, mas os dois não chegaram a um acordo.

Na última quarta (4), o estado denunciou ter recebido apenas 10% da remessa total do ministério, quando o pacto federativo estabelece que, por causa da população, São Paulo fique com 22,6%. Isso resultaria em um déficit de 228 mil doses da Pfizer/BioNTech.

Horas depois, o ministério argumentou que o envio foi menor para compensar. Após a reunião com Gorinchteyn, na sexta, Queiroga disse ainda que São Paulo recebeu mais doses do que deveria. O estado nega.

Conversamos com a equipe técnica do ministério e havia uma discordância com a nossa secretaria. Esses dados não batiam. Portanto, São Paulo não entende seu débito com o país. Muito pelo contrário, estamos tendo a preocupação de antecipar o carregamento que seria entregue.
Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo

Os cálculos de envio e recebimento são feitos pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) e é neste cálculo que o PEI (Programa Estadual de Imunização) realiza suas projeções de vacinação. Com o déficit de Pfizer, o governo estadual chegou a deixar o início da vacinação de crianças e adolescentes em aberto, mas voltou atrás e a data foi confirmada por Doria para o dia 18 de agosto.

Gorinchteyn diz esperar que as doses sejam enviadas separadas ou corrigidas no próximo carregamento. Se não, deverá aderir à Justiça.
"Acredito que esse assunto será resolvido e nós receberemos as doses que temos direito. Repito que São Paulo não está devendo ao ministério. Não queríamos aderir à judicialização, mas?", indicou o secretário, sem dar prazos.

Mais 2 milhões de doses ao PNI

O Butantan entregou hoje mais 2 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde, em um total de 66,8 milhões de doses repassados à União desde janeiro. O instituto promete entregar as outras 33,2 milhões de doses que fecham o contrato de 100 milhões até 30 de agosto.

Saúde