PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 37,3 milhões de brasileiros completam vacinação, 17,66% da população

Brasil chegou à marca de 37,3 milhões de pessoas com vacinação completa contra covid-19 - Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Brasil chegou à marca de 37,3 milhões de pessoas com vacinação completa contra covid-19 Imagem: Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

24/07/2021 20h05

O Brasil alcançou hoje a marca de 37,3 milhões de pessoas que completaram a vacinação contra a covid-19. No momento, 37.389.678 habitantes receberam a segunda dose ou a dose única da Janssen, o equivalente a 17,66% da população nacional. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Com relação aos imunizantes que necessitam de duas doses, a primeira delas foi aplicada em 757.316 pessoas nas últimas 24 horas. Nesta etapa inicial, o total de vacinados chegou a 95.217.256, o correspondente a 44,97% da população do país. A segunda dose foi aplicada em 311.288 brasileiros entre ontem e hoje. Neste mesmo período, 34.036 pessoas receberam a dose única da Janssen.

Quatro tipos de vacina estão à disposição no momento no Brasil. Os laboratórios responsáveis pela produção da CoronaVac, Oxford/AstraZeneca e Pfizer/BioNTech indicam a aplicação de duas doses para um combate mais eficiente à doença. No caso da Janssen, sua fabricante recomenda apenas uma dose.

Proporcionalmente, o estado de São Paulo continua na liderança entre aqueles que mais aplicaram a primeira dose: 54,27% de sua população.

O Mato Grosso do Sul permanece à frente entre os estados que, em termos percentuais, contam com a maior parcela da população com vacinação completa - isto é, receberam a segunda dose ou a dose única: 31,1% de seus habitantes.

Anvisa encerra análise de uso emergencial da vacina Covaxin

A diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu encerrar, por unanimidade, o processo que analisava o uso emergencial da vacina Covaxin no Brasil.

Em nota, a Anvisa diz que a decisão foi tomada hoje após a fabricante indiana Bharat Biotech informar que a Precisa Medicamentos não tem mais autorização para representá-la no Brasil —o pedido de uso emergencial da Covaxin foi protocolado pela Precisa em 29 de junho.

Para a diretora Meiruze Freitas, relatora do processo, "a negativa está ancorada ao princípio da eficiência, uma vez que seguir com uma avaliação técnica de uma petição já administrativamente corrompida implicaria em significativo desperdício de esforços e recursos da administração".

Ontem, após a Bharat Biotech anunciar o rompimento do memorando de entendimento para comercialização da Covaxin no Brasil, a Precisa afirmou que a decisão do laboratório indiano foi "precipitada" e "prejudica o esforço nacional para vencer uma doença que já ceifou mais de 500 mil vidas no país".

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Você utiliza a Alexa? O UOL fornece informações à inteligência artificial por voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados do número de brasileiros vacinados contra a covid-19. Para saber sobre a vacinação no país ou no seu estado com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, quantas pessoas já foram vacinadas no Brasil?", por exemplo, ou "Alexa, quantas pessoas foram vacinadas?". Nos encontramos lá!

Saúde