PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Nem SP, nem RJ: na 'briga do bem', RS é o que mais vacinou; veja ranking

"Líder" da competição, o Rio Grande do Sul já aplicou duas doses da vacina contra a covid-19 em 14,30% da população - Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo
"Líder" da competição, o Rio Grande do Sul já aplicou duas doses da vacina contra a covid-19 em 14,30% da população Imagem: Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Anaís Motta

Do VivaBem, em São Paulo

16/06/2021 19h09Atualizada em 17/06/2021 00h24

Os governadores Flávio Dino (PCdoB) e João Doria (PSDB), além do prefeito Eduardo Paes (PSD), do Rio de Janeiro, deram início a uma "briga do bem" para ver quem consegue vacinar mais pessoas contra a covid-19 em menos tempo. Nas redes sociais, eles desafiam um ao outro, em tom de brincadeira, e ganham incentivo da população local. Mas, na prática, quem está vencendo essa competição é o Rio Grande do Sul, governado por Eduardo Leite (PSDB).

Segundo dados do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, o Rio Grande do Sul já tem 14,38% de sua população completamente imunizada contra a covid-19 — isto é, que recebeu as duas doses da vacina. Já São Paulo aparece um pouco atrás, em terceiro lugar, com 12,94%, enquanto o Maranhão tem 7,99% (24ª posição). (Veja o ranking completo abaixo)

Sozinha, a cidade do Rio já aplicou duas doses em 14,43% de sua população, mas compará-la aos estados não seria adequado porque a cobertura vacinal costuma ser proporcionalmente maior nas capitais, mesmo. Porto Alegre, por exemplo, tem 21,65% das pessoas completamente imunizadas, enquanto as cidades de São Paulo e de São Luís têm 13,33% e 10,74%, respectivamente.

Confira as posições ocupadas pelos 26 estados e o Distrito Federal no "campeonato" da vacinação:

Parcela da população que já recebeu duas doses

  1. Rio Grande do Sul: 14,38%
  2. Mato Grosso do Sul: 13,94%
  3. São Paulo: 12,94%
  4. Minas Gerais: 12,93%
  5. Amazonas: 12,18%
  6. Ceará: 11,86%
  7. Paraíba: 11,65%
  8. Espírito Santo: 11,63%
  9. Paraná: 11,17%
  10. Rio Grande do Norte: 11,09%
  11. Bahia: 10,98%
  12. Distrito Federal: 10,73%
  13. Santa Catarina: 10,58%
  14. Pernambuco: 10,52%
  15. Roraima 10,03%
  16. Rio de Janeiro: 10,00%
  17. Goiás: 9,55%
  18. Piauí: 9,40%
  19. Sergipe: 9,39%
  20. Pará: 9,23%
  21. Alagoas: 9,14%
  22. Tocantins: 8,71%
  23. Mato Grosso: 8,49%
  24. Maranhão: 7,99%
  25. Rondônia: 7,94%
  26. Acre: 7,26%
  27. Amapá: 7,20%

Para esta competição — muito saudável —, a reportagem considerou apenas os vacinados com duas doses. Isso porque, na prática, apesar de a primeira já conferir algum tipo de proteção, a imunização contra a covid-19 só está completa após a segunda, que não é dispensável.

Levando em conta o número de primeiras doses aplicadas, porém, a liderança passa para Mato Grosso do Sul, do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), com 36,49%. Rio Grande do Sul vem logo atrás, com 34,31%, novamente duas posições à frente de São Paulo (30,96%). Já Maranhão aparece em 16º (25,39%).

Veja o ranking completo:

Parcela da população que recebeu apenas uma dose

  1. Mato Grosso do Sul: 36,49%
  2. Rio Grande do Sul: 34,31%
  3. Espírito Santo: 32,34%
  4. São Paulo: 30,96%
  5. Santa Catarina: 30,66%
  6. Paraná: 29,41%
  7. Bahia: 28,42%
  8. Sergipe: 27,36%
  9. Pernambuco: 27,17%
  10. Distrito Federal: 27,07%
  11. Rio Grande do Norte: 26,33%
  12. Goiás: 26,29%
  13. Minas Gerais: 26,15%
  14. Amazonas: 26,04%
  15. Paraíba: 25,68%
  16. Maranhão: 25,39%
  17. Alagoas: 25,25%
  18. Ceará: 25,23%
  19. Piauí: 24,54%
  20. Rio de Janeiro: 22,89%
  21. Mato Grosso: 21,70%
  22. Tocantins: 21,05%
  23. Rondônia: 20,05%
  24. Pará: 18,91%
  25. Acre: 18,34%
  26. Roraima: 18,16%
  27. Amapá: 17,93%

Para os rankings da vacinação nos estados, foram considerados os números atualizados hoje (16), às 20h, pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Já para o balanço das capitais, foram utilizados os últimos dados disponíveis nos sites das prefeituras do Rio e de Porto Alegre e dos governos de São Paulo e do Maranhão, além da população de cada localidade estimada em 2020 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Saúde