PUBLICIDADE

Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Movimento

Treino em casa melhora saúde mental; veja como ter motivação para malhar

iStock
Imagem: iStock

Diana Cortez

Colaboração para o VivaBem

24/05/2021 04h00

Academias e parques fechados, medo de ser infectado pelo coronavírus, falta de tempo e de disposição por conta do estresse do home office. Na pandemia, diversos fatores impedem que as pessoas consigam realizar exercícios regularmente —isso, inclusive, foi confirmado por uma revisão de 66 estudos 66 publicada no BMJ Open Sport & Exercise Medicine, que concluiu que a população ficou mais sedentária na quarentena.

E uma das alternativas para driblar as dificuldades de se exercitar é aderir aos treinos em casa. Para quem ainda tem dúvidas se seguir uma rotina de exercícios online é realmente aumente uma boa opção, já que nem sempre há o acompanhamento do professor, saiba que a resposta é sim.

Um estudo realizado por cientistas da USP (Universidade de São Paulo) com 354 pessoas, publicado recentemente na revista Psychiatry Research, apontou que as pessoas que fizerem exercícios remotamente realizaram 30% mais atividades físicas intensas do que quem treinou em academia sem personal trainer —e graças a isso colheram os benefícios para a saúde física e mental.

"A pesquisa mostrou que a atividade física online foi capaz de diminuir a tristeza, a tensão, a lentidão de raciocínio, o pessimismo, os pensamentos suicidas, as alterações de apetite, os problemas de concentração e ainda melhorou o sono, a concentração e a autoestima", comenta a supervisora do estudo Carla Silva-Batista, que é profissional de educação física e pesquisadora da USP.

Segundo o autor do estudo, o profissional de educação física e doutorando na USP Acácio Moreira-Neto, realizar de 75 a 150 minutos de atividades físicas intensas por semana é importante para viver mais e melhor. "Estudos mostram que os exercícios intensos aumentam a longevidade por diminuírem os riscos de doenças cardiovasculares e câncer, além de preservarem a cognição, prevenindo demências e o risco de Parkinson", coloca.

Dicas para ter motivação para malhar em casa

Muitas vezes, só saber que a atividade física traz benefícios não é suficiente para manter a motivação em alta para se exercitar regularmente —ainda mais sozinho, dentro de casa, no frio... A seguir, listamos táticas que podem aumentar suas disposição para fazer os exercícios online.

- Estabeleça uma rotina diária Determine horário para todas as suas tarefas, inclusive seu treino —e procure cumprir a agenda à risca. Evite perder tempo enrolando na cama pela manhã ou ficando uma hora conferindo as redes sociais no "piloto automático" ou em frente à televisão. Malhar deve ser encarado como uma tarefa obrigatória, como dormir, comer, tomar banho, escovar os dentes...

- Aposte em atividades que você adora Há uma infinidade de modalidades para fazer online, como dança, ioga, pilates, HIIT (treino intervalado de alta intensidade), exercícios localizados, treinos de força, CrossFit, aulas com movimento de lutas etc. E se você gostar de várias atividades, melhor ainda. Alterná-las evita que você enjoe de treinar.

- Invista em acessórios Muitos métodos nem precisam de equipamentos e usam apenas o peso do corpo. Mas investir em um elástico, em uma fita de suspensão ou qualquer outro acessório pode servir de estímulo para se exercitar —já que você vai querer testar o equipamento que comprou e também fazer o gasto (na verdade, investimento) valer a pena.

- Faça aulas online ao vivo Além de gerar um compromisso (você é obrigado a treinar no horário da "live"), elas trazem um pouco do "calor" do presencial, o incentivo do professor etc. Importante: faça sempre aulas conduzidas por profissionais de educação física, nada de seguir o treino da blogueira fitness que não é especialista na área.

- Contrate um personal Muitos profissionais de educação física estão oferecendo atendimento online individualizado. Além do compromisso que isso gera (tem alguém esperando você tal dia e horário para treinar), o professor vai montar uma rotina de exercícios adequada para seus objetivos e condicionamento físico —o que evita que você sofra com dores e fique dias sem poder se movimentar por ter seguido um treino mais intenso do que suporta. O personal ainda corrige movimentos errados, reduzindo o risco de lesões. Se não tiver condições de fazer todos os treinos com o profissional, você pode contratá-lo para uma ou duas aulas por mês. Nelas, o personal irá passar o treino e orientar como fazer os exercícios corretamente, depois você continua seguindo a rotina sozinho pelas próximas semanas.

- Aposte em aplicativos ou plataformas de treino Se não tiver condições de pagar um personal, você pode seguir treinos pontos oferecidos em apps ou plataformas de treino —muitos são gratuitos. "Procure apps que levam em conta o seu perfil e que ofereçam treinos com os materiais que você tem em casa e para seu nível de treinamento. Caso contrário, é grande o risco de desistir na primeira semana", orienta o profissional de educação física, master trainer da Bodytech e coach André Trombini.

- Crie um "ritual" fitness Se você treina pela manhã, já deixe as roupas separadas na noite anterior, coloque a garrafinha com água para gelar, deixe o colchonete, a toalha e os acessórios de treino na sala etc. Ao fazer isso, você "avisa" seu cérebro que vai fazer exercícios no dia seguinte, se prepara e reduz o risco de surgirem desculpas para desistir. Quem treina à tarde ou à noite também pode criar seus rituais, como ouvir sempre a mesma playlist para se motivar minutos antes de começar o exercício, enquanto coloca as roupas de treino; dar sempre uma volta no quarteirão com o cachorro como forma de aquecimento para o treino etc.

Movimento