PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Com pedras nos rins, Hariany precisou de cirurgia; saiba como evitar quadro

Hariany grava vídeos no quarto de hospital - Reprodução/Instagram
Hariany grava vídeos no quarto de hospital Imagem: Reprodução/Instagram

Do VivaBem, em São Paulo*

27/01/2021 11h39

Atualmente se recuperando em casa, a ex-BBB Hariany Almeida passou por uma cirurgia de emergência na semana passada devido a cálculos renais, quadro conhecido também por "pedras nos rins".

A presença dos cálculos causa dores fortes na lombar e abdômen que, dependendo da intensidade, chegam a ser comparadas à dor do parto sem anestesia. Além disso, é possível ter vômitos, desmaios e cólicas extremamente fortes.

Em seu Instagram, a influenciadora digital compartilhou vídeos enquanto estava no hospital. "Lembram que falei para vocês que estava com gastrite? Estou com gastrite, sim, mas na verdade hoje estou com dor nos rins. Vim para o hospital e vou ter que fazer uma cirurgia de urgência para poder tirar a pedra do rim", disse.

De onde vem a pedra no rim?

Cerca de 10% da população pode ser afetada pela formação de cálculo renal, de acordo com o professor Osvaldo Merege Neto, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (Universidade de São Paulo). O cálculo geralmente é formado por cristais de oxalato de cálcio eliminados pela urina que, ao se agruparem com o tempo, formam as pedras.

E aí, quanto mais líquidos o paciente ingerir, maior a chance de eliminar os cristais. Mas se a pessoa faz pouco xixi e toma pouca água, os cristais tendem a se agrupar com maior facilidade e formar compostos sólidos de diferentes tamanhos nas vias urinárias.

Embora a enfermidade seja popularmente conhecida como pedra no rim, os cristais podem se instalar em outras partes do trato urinário, como bexiga, uretra e ureteres.

Como prevenir o cálculo renal?

De acordo com Ernesto Régio, coordenador do Departamento de Endourologia e Calculose da SBU, existem pilares que podem prevenir o problema e, principalmente, impedir que as pedras já existentes aumentem. Em entrevista à Agência Brasil, o médico disse que o primeiro é manter uma hidratação abundante.

A urina tem que estar sempre bem clara. "Qualquer líquido que o paciente tome é sempre favorável. Os sucos de frutas cítricas são os melhores, porque, além da hidratação, têm o citrato (elemento protetor), um componente que diminui a formação de novos cálculos." Outro pilar é a redução do consumo de sódio (sal de cozinha), seja o produto do saleiro ou o da comida industrializada.

A pessoa precisa também ter bom senso com o consumo de proteína animal e de produtos lácteos. Régio recomendou ainda a prática de atividades físicas regulares e que a ingestão de líquidos seja bem distribuída ao longo do dia.

O ideal é consumir de dois a três litros de água por dia, mas alguns fatores devem ser levados em consideração para o ajuste à realidade do paciente. A SBU citou a constituição física (peso, altura, percentual de gordura corporal) e outras formas de perda de líquidos como respiração ou suor, que podem ser decorrentes do clima ou atividades físicas.

*Com informações da reportagem de Maria Júlia Marques, publicada em 26/02/2019 e de Alana Gandra, da Agência Brasil, publicada em 19/01/2021

Saúde